Torres Vedras

Dimensões estratégicas

O Plano Estratégico de Cultura de Torres Vedras constrói-se a partir das dimensões temáticas propostas pela UNESCO para a Cultura na Agenda 2030. Cada núcleo temático é composto por um conjunto de indicadores mensuráveis tanto ao nível nacional, regional como local. Os indicadores considerados têm por objetivo medir e acompanhar os progressos da contribuição da Cultura para a implementação nacional e local dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030, avaliando-se tanto o papel da Cultura como setor de atividade, como a sua contribuição transversal para os diferentes ODS e respetivos domínios políticos. Podendo ser implementados numa base voluntária por países e cidades, assentam num quadro conceptual sólido que permite a análise aprofundada das múltiplas formas como a Cultura contribui para as dimensões económica, social e ambiental do Desenvolvimento, construindo a evidência do papel transformador da Cultura, tornando-a, assim, mais visível e tangível.

 

Dimensões estratégicas

  1. Ambiente e resiliência
  2. Prosperidade e estilos de vida
  3. Conhecimentos e competências
  4. Inclusão e participação

Dimensões Estratégicas

1. Ambiente e Resiliência

Esta dimensão temática fornece um quadro para avaliar o papel e a contribuição da Cultura para o conjunto do Desenvolvimento do território, enfatizando a dimensão do Património Cultural e Natural e do Ambiente Urbano tanto como alavanca para o Desenvolvimento Sustentável, como um fim em si mesmo. Os indicadores propostos pela UNESCO para 2030 avaliam o nível de empenhamento na salvaguarda do Património Cultural e Natural e fornecem provas de uma gestão sustentável do Património e da inclusão dos conhecimentos tradicionais num planeamento sensível do ponto de vista cultural. Esta dimensão também avalia os aspetos físicos/espaciais da qualidade do Ambiente Urbano, incluindo o espaço público e as infraestruturas culturais. Nesta dimensão iremos assim observar os seguintes itens:

  • a despesa em Património Natural e Cultural, tanto material como imaterial  (indicador parcialmente disponível);
  • os planos de Adaptação Climática e resiliência do Património Cultural e Natural, tangível e intangível;
  • a diversidade de rede de infraestruturas e equipamentos culturais no território;
  • o espaço público ao nível urbano, incluindo o tamanho, o número, de distribuição espacial e uso (indicador não disponível).

2. Prosperidade e Qualidade de Vida

Esta dimensão temática proporciona um quadro para avaliar o contributo da Cultura para promoção e viabilização de economias mais inclusivas e sustentáveis, através da geração de rendimentos e emprego, bem como estimulando as receitas através de bens culturais, serviços e empresas. Está igualmente incluído nesta dimensão um indicador sobre a Governança da Cultura. Este indicador fornece provas das estruturas de governação existentes para apoiar um papel próspero da Cultura no Desenvolvimento Económico local e nacional e na criação de meios de subsistência.

Nesta dimensão observaremos para efeito de diagnóstico:

  • a contribuição do setor cultural e criativo (SCC) para o crescimento económico, incluindo ao nível da produção, das taxas de empregabilidade e tendências no emprego cultural (indicadores parcialmente disponíveis);
  • as micro e pequenas empresas do SCC, identificando tendências e clusters (indicadores parcialmente disponíveis);
  • as despesas em Cultura dos agregados domésticos para aferir a dimensão do mercado local de atividades culturais, bens e serviços e contribuir para o desenvolvimento de políticas culturais geradoras de inclusão social através das atividades culturais;
  • o comércio internacional de bens culturais e serviços para esclarecer o contexto legal e medidas que podem ser desenhadas para aumentar essas exportações;
  • estruturar um modelo de Governança que permita a construção de indicadores relevantes para o desenvolvimento de políticas alicerçadas em evidências.

3. Conhecimento e competências

Esta dimensão temática fornece um quadro para avaliar o contributo da Cultura para a construção de conhecimentos e competências, incluindo os conhecimentos locais e a Diversidade Cultural. Centra-se especificamente no contributo da Cultura para a transmissão de valores culturais, conhecimentos e competências locais e na promoção do empoderamento através da formação educacional, de processos, políticas e materiais. Sublinha o papel da Diversidade Cultural no ensino primário, secundário e superior, bem como na formação profissional, e centra-se no desenvolvimento aprofundado dos currículos para integrar os conhecimentos culturais. Os indicadores propostos avaliarão o nível de empenhamento das autoridades e instituições públicas na integração e aproveitamento dos conhecimentos culturais para promover o respeito e a valorização da Diversidade Cultural, a compreensão do Desenvolvimento Sustentável e a transmissão de valores culturais, bem como na atribuição de prioridade à formação cultural (incluindo a formação avançada em matéria de conservação do património) e na promoção de aptidões e competências nos domínios criativos.

Assim, serão observados para efeitos de diagnóstico:

  • os programas de formação e educação para o Desenvolvimento Sustentável avaliando em que medida incluem a Diversidade Cultural, o Património e os valores culturais tanto ao nível da educação formal, como informal;
  • avaliar a educação artística e cultural nos sistemas formais e informais.

4. Inclusão e Participação

Esta dimensão temática fornece um quadro para avaliar o contributo da Cultura na construção da Coesão Social, bem como na promoção da Inclusão e da Participação. Centra-se na capacidade de acesso das pessoas à Cultura, no direito de todas as pessoas a participarem na vida cultural e na sua liberdade de expressão cultural, incluindo a Liberdade Artística e Criativa. Este programa explora igualmente as formas como as práticas culturais, os sítios, os elementos e as expressões culturais transmitem valores e competências conducentes à Inclusão Social. Nesta dimensão avalia-se, assim, a capacidade da Cultura para estimular o envolvimento efetivo das comunidades locais na vida pública. Para tal serão observadas as seguintes ações:

  • identificar, avaliar e monitorizar o acesso e a capacidade de participação cultural de todo o tecido social tanto ao nível dos equipamentos culturais, como às práticas da produção, criação, distribuição e disseminação de conhecimentos, bens e serviços culturais;
  • monitorizar a participação e o acesso cultural;
  • identificar e avaliar as oportunidades para os cidadãos e profissionais do SCC participarem nos processos de decisão relacionados com o desenvolvimento de políticas, medidas e programas que lhe dizem respeito, tanto a nível nacional, como local;
  • processos participativos;

Embora alguns dos indicadores recomendados pela UNESCO ainda não estejam construídos considera-se muito pertinente aplicar esta metodologia no diagnóstico conducente ao desenvolvimento do plano estratégico, lançando já as bases para a construção de um modelo de Governança em linha com a Agenda2030 para o Desenvolvimento Sustentável, seguindo assim as suas recomendações principais.


Notícias / Cultura

Imagem da Notícia Realidade virtual chega ao Centro de Interpretação das Linhas de Torres Vedras
Imagem da Notícia Assembleia Municipal promoveu colóquio sobre a implantação do poder local democrático
Imagem da Notícia “Histórias de Resistência” é o tema da sexta edição de “Torres Vedras – Cidade dos Livros”
Imagem da Notícia Ciclo de Órgão de Torres Vedras encerra em mais uma edição de sucesso
Imagem da Notícia Coletânea de crónicas que dão a conhecer histórias de vida foi apresentada

Coletânea de crónicas que dão a conhecer histórias de vida foi apresentada

27.03.2024

"Vozes que Caminham", uma edição municipal que se constitui como uma coletânea de crónicas da autoria de Luís Filipe Rodrigues, publicadas no jornal Badaladas, que abordam histórias de vida de pessoas com idade mínima de 80 anos, foi apresentada no dia 23 de março, no Edifício dos Paços do Concelho. (...)

Imagem da Notícia Concelho voltou a acolher ações do evento Revolution Hope Imagination

Agenda / Cultura

Música
Leitura

Tricô(n)tando

Fábrica das Histórias - Casa Jaime Umbelino

24 de abril de 2024 | quarta

Nestes encontros junta-se a arte de tecer as palavras à arte de tecer os fios, e quem sabe ensina quem não sabe. Tricotando e contando, contando e tricotando faz-se crescer o Tricô(n)tando. Volvidos dez anos de partilha de saberes estamos certos que as histórias, tal como a amizade e o (...)

Visita

Recomeçamos, não nos rendemos e Resistência | 2º Concurso de Ilustração da Fábrica das Histórias – Casa Jaime Umbelino

Fábrica das Histórias - Casa Jaime Umbelino

24 de abril de 2024 | quarta

A Fábrica das Histórias - Casa Jaime Umbelino abre as suas portas para uma visita orientada pelas exposições "Recomeçamos, não nos rendemos" de Afonso Cruz e "Resistência", exposição coletiva do 2.º Concurso de Ilustração da Fábrica das Histórias – Casa Jaime Umbelino.  Será (...)

Música

50 Anos de Abril | Música de Intervenção Viva

Pavilhão Multiusos, Parque Regional de Exposições

24 de abril de 2024 | quarta

Para celebrar os 50 anos do 25 de Abril e todos os que construíram a liberdade, lembrando o valor da Arte, e em particular da canção de intervenção, Ruben Monteiro desenhou um projeto em forma de concerto de homenagem e criou uma nova composição musical para assinalar a data, uma peça que (...)

Música
Evento

Sessão Solene Comemorativa do 50.º Aniversário do 25 de Abril

Outro

Praça 25 de Abril, Torres Vedras

25 de abril de 2024 | quinta

A Sessão Solene Comemorativa do 50.º Aniversário do 25 de Abril, irá contar com as intervenções do presidente da Junta de Freguesia de Santa Maria, São Pedro e Matacães, dos representantes dos partidos e movimentos de cidadãos com assento na Assembleia Municipal, da presidente da Câmara (...)

voltar ao topo ↑