Torres Vedras

Programa Municipal de Habitação Social – Fase 1

28.02.2018

Esta operação, inserida no PAICD (Plano de Ação Integrado para as Comunidades Desfavorecidas), afeto ao Plano Municipal de Habitação Social e relacionado com o PEDU (Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano), a concretizar na Área de Reabilitação Urbana da Encosta de São Vicente, consiste na aquisição e reabilitação de edifícios localizados na mesma, visando o realojamento de agregados carenciados, vertente onde existe um grande défice de resposta face às necessidades atuais.

Esta 1.ª fase consistirá na reabilitação de dois núcleos edificados correspondentes a 6 frações habitacionais, prevendo-se até 2023 um mínimo de 14 habitações reabilitadas.

Promove-se e potencia-se deste modo uma operação integrada de regeneração urbana, articulando a resolução das situações de grave carência habitacional com as restantes intervenções de natureza urbana, económica, social e ambiental integradas no Plano de Ação de Regeneração Urbana.

As seis frações habitacionais a reabilitar nesta primeira fase estruturam-se em dois núcleos.

O núcleo A localiza-se na Rua Aníbal Gaspar, no cimo da vertente norte do Parque Verde do Choupal, e compreende cinco frações divididas por dois edifícios. A intervenção a efetuar visa fundamentalmente reabilitar o edificado, reformulando a sua organização funcional de modo a não só resolver as patologias existentes, como a melhorar as condições de conforto e salubridade das edificações, garantindo quatro apartamentos de tipologia T2 e uma moradia unifamiliar de tipologia T3.

O núcleo B localiza-se na Rua do Matadouro, a norte desta antiga unidade industrial, e compreende uma única fração. Face ao estado precário de conservação do edifício existente, pretende-se reabilitar o que for possível da construção original e armazém, optando por substituir a ampliação mais recente (que não apresenta qualidade construtiva ou estética) por uma construção mais qualificada, que permita a adaptação do existente a uma moradia unifamiliar de tipologia T3 com o objetivo particular de ser completamente acessível a indivíduos com mobilidade condicionada.

Este projeto de reabilitação foi desenvolvido ao abrigo do RERU – Regime Excecional de Reabilitação Urbana. Um processo de intervenção mínima foi uma das premissas, beneficiando ao máximo as preexistências, não comprometendo a estrutura dos edifícios e a sustentabilidade financeira das obras de reabilitação. Procurando cumprir estes princípios, o projeto prevê uma melhoria significativa, não só ao nível funcional, mas sobretudo ao nível do conforto térmico e acústico. Prevê-se ainda a melhoria das condições de salubridade, melhorando sempre que possível a ventilação transversal dos compartimentos. Serão aplicadas várias medidas de melhoria da eficiência energética das habitações. Esta conjugação de fatores terá um papel determinante na redução da fatura energética, fundamental para o fim a que se destina este projeto: habitação de cariz social. 

 

 

NÚMEROS

 

Área: 577 m2

Valor: 387.689,05€ (cofinanciado em 85% pelo Programa Operacional Regional do Centro, Portugal2020 e União Europeia, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional)       

Prazo: 1.º semestre de 2019            

Projeto: Involve Arquitectos (núcleo A) e Rui Vieira (núcleo B)