Torres Vedras

Paragens de Chegada e Confluência - Fase 1

07.05.2020

Fotografia da Paragem de Chegada e Confluência instalada junto ao Arena Shopping.

PAMUS.07 – Paragens de Chegada e Confluência, Fase 1

Projeto executado

Esta operação integra o Plano de Ação de Mobilidade Urbana Sustentável - PAMUS.



O projeto de instalação de paragens de chegada e confluência de transportes públicos em Torres Vedras integra o PEDU (Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano de Torres Vedras) bem como o PAMUS (Plano de Ação de Mobilidade Urbana Sustentável).

Este projeto consistiu na construção de 12 Paragens de Chegada e Confluência em locais estratégicos de Torres Vedras, onde ocorrem volumes significativos de transbordo de passageiros entre diferentes modos de transporte ou entre veículos do mesmo modo:

  • Rua Maria Barreto Bastos
  • Rua Teresa de Jesus Pereira
  • Praceta Calouste Gulbenkian
  • Avenida General Humberto Delgado
  • Centro Comercial Arena Shopping
  • Centro de Artes e Criatividade
  • Rua Principal da Boavista-Olheiros
  • Rua Fernando Barros Ferreira Leal
  • Rua Dr. Ricardo Belo

Na escolha dessas localizações foram tidos em conta aspetos como a afluência de utilizadores e a criação de acessibilidade a utilizadores com mobilidade reduzida.

Enquanto interfaces de transporte, essas paragens desempenham um papel determinante no funcionamento de um sistema de transportes intermodal e garantem que a ligação entre os diferentes modos de transportes se processe: de forma acessível a todos os cidadãos, incluindo cidadãos com mobilidade condicionada; de forma rápida e sem perdas de tempo significativas no transbordo; e com condições de conforto e segurança para o passageiro.

O projeto de arquitetura respetivo apresenta uma solução de desenho modular e tem por base um cubo com dois metros e meio de lado, vazado no seu interior, capaz de ser facilmente replicado, de combinação simples, e associações variadas. É construído com recurso à pré-fabricação, em betão pintado e envidraçados com caixilhos e serralharias, de chapa de aço galvanizado e pintado, permitindo uma baixa manutenção na sua conservação e longevidade, contribuindo assim para o reforço da identidade do local e referência urbana na Cidade.

A conceção flexível do equipamento, associada à escolha criteriosa de cada localização e à configuração de cada uma das plataformas, consegue promover a integração com as funções urbanas envolventes, beneficiando a vivência dos espaços exteriores do interface bem como o edificado próximo.

O desenho das plataformas oferece a oportunidade de criar lugares visualmente atraentes, seguros, acessíveis, funcionais e que proporcionam uma marca de identidade na cidade, de forma a incutir nos cidadãos uma cultura de mobilidade baseada na utilização de modos de deslocação mais sustentáveis e eficientes, como o transporte público, a deslocação a pé ou de bicicleta.

Assegurando um nível de conforto mais elevado que uma paragem de autocarro corrente, é oferecido ao utilizador um espaço de espera amplo, com lugares sentados, em que se por um lado está resguardado das intempéries, por outro mantém a visibilidade para o exterior, garantindo a estrutura níveis de segurança, por meio dos painéis de vidro.

É também uma mais-valia para o utilizador a criação de condições para a instalação de novas tecnologias, nomeadamente as condições para acesso à internet e carregamento de dispositivos móveis. É disponibilizado equipamento de estacionamento de bicicletas privadas, incentivando à utilização dos modos suaves, em complementaridade aos transportes públicos.

Relacionado com a operação Sistemas de Informação Rodoviária em Tempo Real, as paragens ficarão dotadas com painéis de informação de todo o sistema público de transportes e mobilidade da cidade de Torres Vedras, bem como da informação sobre o tempo que falta para a chegada dos próximos autocarros e o seu destino.

As referidas plataformas são elementos urbanos entendidos como instrumentos para o cumprimento dos objetivos e metas de redução das emissões de carbono e outros gases com efeitos de estufa, nomeadamente nas zonas urbanas.

 

 

NÚMEROS

Projeto: BAU – Bruckelmann Arquitetura e Urbanismo, Lda

Data de aprovação da candidatura: 28-09-2017

Data de início da operação: 25-05-2017

Data de conclusão da operação: 08-11-2019

Custo total do investimento: 359.540,98 € (inclui as componentes de Estudos, Pareceres, Projetos e Consultoria e Construções diversas)

Custo total elegível: 359.540,98 €

Apoio financeiro da União Europeia: 305.609,83 € pelo Programa Operacional Regional do Centro, Portugal2020 e União Europeia, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional

 


Última atualização: 13.09.2021 - 15:18 horas
voltar ao topo ↑