Torres Vedras

Obras de reabilitação urbana na Encosta de São Vicente foram inauguradas

07.11.2022

Imagem do descerramento da placa de inauguração das obras de requalificação do Miradouro Meia Laranja

A Encosta de São Vicente tem vindo a ser alvo de uma profunda intervenção de regeneração urbana e social mediante a execução de um conjunto de projetos integrados no PEDU (Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano) de Torres Vedras, tendo-se inaugurado na tarde do dia 30 de outubro oito desses projetos:

- “Requalificação urbana e paisagística do espaço público envolvente ao antigo Matadouro Municipal”; 

- “Núcleo de Incubação Social, Artística e Empresarial”; 

- “Polo Social e Cultural” (Espaço Polivalente e Espaço Expositivo); 

- “Requalificação do Miradouro Meia Laranja”; 

- “Reabilitação do espaço público envolvente aos bairros Floresta, Reis e Barreto”; 

- “Somos Comunidade”; 

- “Porta do Bairro”;

- “Programa Municipal de Habitação Social (Fase 2)”.


A inauguração destes projetos teve início no Miradouro Meia Laranja com o descerramento da placa inaugural da obra de requalificação deste espaço, após o que, Carlos Figueiredo (chefe da Divisão de Planeamento Estratégico e Territorial da Câmara Municipal e coordenador geral do PEDU de Torres Vedras) levou a cabo uma breve explicação sobre o âmbito e os objetivos deste plano. Na sua intervenção, Carlos Figueiredo sublinhou o especial enfoque conferido pelo PEDU de Torres Vedras à Encosta de São Vicente, que concentra dois dos seus três subprogramas: o PARU (Plano de Ação de Regeneração Urbana) e o PAICD (Plano de Ação Integrada para as Comunidades Desfavorecidas). Na breve descrição dos diferentes projetos do PEDU de Torres Vedras executados na Encosta de São Vicente foi realçado ainda a importância da reconversão do antigo Matadouro Municipal no Centro de Artes e Criatividade (CAC), que se assume como projeto-âncora deste plano e gerador de uma nova centralidade na Cidade.





Seguiu-se um périplo por diversos projetos desenvolvidos ao longo da Encosta de São Vicente, que culminou na praça do CAC, onde foi exibido um excerto do documentário produzido por Carlos Fraga, que regista toda a operação de regeneração urbana e social operada naquela zona de Torres Vedras, a que se seguiu a assinatura de protocolos de cooperação entre o Município e o Centro Social e Paroquial de Torres Vedras, e entre o Município e o Académico de Torres Vedras, tendo em vista a dinamização, respetivamente, dos projetos “Porta do Bairro” e “Somos Comunidade”.





Após a assinatura destes protocolos usou da palavra a presidente da Câmara Municipal, Laura Rodrigues, que recordou que a intervenção realizada na Encosta de São Vicente acontece no seguimento das intervenções de regeneração urbana que tiveram lugar no centro histórico da Cidade e no Parque do Choupal. Arenes será, segundo Laura Rodrigues, a próxima zona da Cidade a ser alvo de uma intervenção de regeneração urbana, a realizar com fundos do próximo quadro comunitário de apoio.

Já a presidente da CCDRC (Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro), Isabel Damasceno, realçou, na sua intervenção, o pensamento integrado subjacente ao PEDU de Torres Vedras, o que a fez acreditar desde o início no sucesso da implementação deste plano. Isabel Damasceno afirmou inclusivamente ser este PEDU um “case study” que poderá vir a ser apresentado à União Europeia.

A terminar o período de discursos usou da palavra o secretário de Estado da Administração Local e do Ordenamento do Território, o torriense Carlos Miguel, que salientou igualmente o caráter integrador do PEDU de Torres Vedras, que o torna distinto relativamente a muitos outros planos semelhantes que foram concebidos em Portugal, pelo que, na sua opinião, é um exemplo que deve ser replicado. Também segundo Carlos Miguel, depois de em Torres Vedras se terem esbatido as diferenças entre as zonas norte e sul da Cidade, é agora tempo de equilibrar a zona nascente com a poente, tendo por isso se manifestado muito feliz com a aposta da Câmara Municipal na futura reabilitação da zona de Arenes.

De referir, por fim, que os oito projetos do PEDU de Torres Vedras inaugurados no dia 30 de outubro representam um investimento de cerca de 5,5 milhões de euros, sendo que os 21 projetos concebidos no âmbito desse plano implicam um investimento total de cerca de 13,5 milhões de euros, comparticipado em cerca de 11,2 milhões de euros pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional, através do Programa Operacional Regional do Centro, do Portugal 2020 e da União Europeia.

Última atualização: 10.11.2022 - 11:29 horas
voltar ao topo ↑