Torres Vedras

Presidente

Carlos Manuel Antunes Bernardes

Tem 49 anos, reside no Turcifal, concelho de Torres Vedras, e gosta de viajar.

É presidente da Câmara Municipal de Torres Vedras desde 1 de dezembro de 2015.

É também Embaixador Quality Coast e membro do Comité Consultivo Político da CIVITAS Initiative.

Em setembro de 2016 foi nomeado Embaixador Green Destination para a Europa.

Ao longo do seu percurso, participou, em Portugal e no estrangeiro, em várias conferências, seminários, workshops e cursos relacionados com turismo, ambiente, sustentabilidade e mobilidade, entre outras áreas.

Formação Académica:

  • Doutorado em Turismo, no IGOT/ESHTE, Universidade de Lisboa, em 21 de dezembro de 2015;
  • Pós Graduado em Turismo (CFA), pelo IGOT, Universidade de Lisboa, no ano letivo 2011/2012;
  • Licenciado em Gestão de Empresas Turísticas e Hoteleiras, no Instituto Superior Politécnico do Oeste, em 2011

Experiência Profissional:

  • Presidente da Câmara Municipal de Torres Vedras, desde 1 de dezembro de 2015;
  • Presidente do Conselho de Administração dos SMAS de Torres Vedras desde 1 de dezembro de  2015;
  • Vice-Presidente da Câmara Municipal de Torres Vedras, de 2005 a 2015;
  • Vereador da Câmara Municipal de Torres Vedras dos Pelouros de Ambiente e Serviços Urbanos, de 2003 a 2005;
  • Vereador do Pelouro do Turismo da Câmara Municipal de Sobral de Monte Agraço, de 1997 a 2001;
  • Adjunto e Secretário do Gabinete de Apoio Pessoal ao Presidente da Câmara Municipal de Torres Vedras, de 1994 a 1997;
  • Secretário da Junta de Freguesia do Turcifal, de 1989 a 1997;
  • Funcionário Público, desde 1988;
  • Guia Transferista na Empresa Intercentro, Grupo Eurolines, responsável pela linha de Málaga, de 1986 a 1993;

A Casa de Todos

01.11.2017

A 1 de outubro os torrienses foram às urnas e elegeram os órgãos autárquicos para os próximos 4 anos, registando que a abstenção foi inferior à registada nas últimas eleições. Os torrienses avaliaram os programas eleitorais e quem se propunha levá-los à prática e deram uma vitória expressiva à lista liderada pelo signatário. Tratou-se, por um lado, do reconhecimento pelo trabalho efetuado e, por outro, um mandato de responsabilidade pelo cumprimento dos compromissos assumidos.

Tudo faremos para que os torrienses, cada vez mais, sintam que é bom viver em Torres Vedras, que este é um território para as pessoas, que se constrói através de um caminho coletivo, sem deixar ninguém de fora.

Torres Vedras é, também, um território com identidade. O que somos e o que queremos ser, vai buscar as suas raízes ao que fomos. Devemos valorizar o nosso património, o construído e o imaterial. É a valorização destes traços que nos diferenciam e que constituem os nossos ativos no processo de desenvolvimento.

Mas somos também um território do conhecimento, pelo que o investimento na Educação estará no topo das prioridades dos próximos anos. A modernidade implica a libertação da Educação para lá dos muros da escola e há muito que Torres Vedras se libertou. Hoje, a Educação está por todo o lado, desde o centro histórico às associações culturais e desportivas, passando pelos espaços verdes e as bibliotecas. Este é o rumo certo para um povo que está preparado para os desafios do presente e do futuro.

Torres Vedras é, seguramente, um território para investir. A sua localização estratégica, a sua harmoniosa mistura de áreas urbanas e rurais e a sua extensa zona costeira, dão-lhe as condições ímpares para que o investimento seja apelativo. Para isso, continuaremos a apostar no apoio ao nosso tecido empresarial. Este é o meio de atração de novas empresas e criação de postos de trabalho mas também o instrumento para consolidar as empresas já existentes.

Os torrienses sabem que a responsabilidade social, a inovação e a sustentabilidade, são paradigmas desta gestão autárquica, pelo que podem contar com o seu aprofundamento, contando sempre com as pessoas em primeiro lugar e com uma prática de proximidade que conduza ao diálogo e a soluções que sirvam o interesse coletivo.

A partir de agora, inicia-se um novo ciclo de 4 anos mas mantem-se o mesmo espírito:

TRABALHAR, TRABALHAR, TRABALHAR!