Torres Vedras

Presidente

Carlos Manuel Antunes Bernardes

Tem 49 anos, reside no Turcifal, concelho de Torres Vedras, e gosta de viajar.

É presidente da Câmara Municipal de Torres Vedras desde 1 de dezembro de 2015.

É também Embaixador Quality Coast e membro do Comité Consultivo Político da CIVITAS Initiative.

Em setembro de 2016 foi nomeado Embaixador Green Destination para a Europa.

Ao longo do seu percurso, participou, em Portugal e no estrangeiro, em várias conferências, seminários, workshops e cursos relacionados com turismo, ambiente, sustentabilidade e mobilidade, entre outras áreas.

Formação Académica:

  • Doutorado em Turismo, no IGOT/ESHTE, Universidade de Lisboa, em 21 de dezembro de 2015;
  • Pós Graduado em Turismo (CFA), pelo IGOT, Universidade de Lisboa, no ano letivo 2011/2012;
  • Licenciado em Gestão de Empresas Turísticas e Hoteleiras, no Instituto Superior Politécnico do Oeste, em 2011

Experiência Profissional:

  • Presidente da Câmara Municipal de Torres Vedras, desde 1 de dezembro de 2015;
  • Vice-Presidente da Câmara Municipal de Torres Vedras, de 2005 a 2015;
  • Vereador da Câmara Municipal de Torres Vedras dos Pelouros de Ambiente e Serviços Urbanos, de 2003 a 2005;
  • Vereador do Pelouro do Turismo da Câmara Municipal de Sobral de Monte Agraço, de 1997 a 2001;
  • Adjunto e Secretário do Gabinete de Apoio Pessoal ao Presidente da Câmara Municipal de Torres Vedras, de 1994 a 1997;
  • Secretário da Junta de Freguesia do Turcifal, de 1989 a 1997;
  • Funcionário Público, desde 1988;
  • Guia Transferista na Empresa Intercentro, Grupo Eurolines, responsável pela linha de Málaga, de 1986 a 1993;

Torres Vedras, terra de campeões!

01.09.2017

Estamos no início de mais um ano letivo que se pretende que decorra com toda a normalidade para que toda a comunidade educativa, desde os alunos, aos professores, passando por educadores, pessoal  auxiliar e encarregados de educação, encontre o ambiente ideal para a transmissão de saberes.

No final de julho decorreu no Japão o Robocup 2107. A presença portuguesa foi assegurada pelo Agrupamento de Escolas S. Gonçalo e não fizeram por menos: campeões do mundo em 3 categorias! É um orgulho para todos nós e assim manifestamos o nosso entusiasmo e felicitamos todos os que contribuíram para que Portugal e Torres Vedras brilhassem em terras tão longínquas.

Torres Vedras já tem ensino superior público com o nascimento do “Bairro Académico” no centro histórico de Torres Vedras, mercê da parceria entre a Câmara Municipal e o Instituto Politécnico de Leiria. A partir de setembro, a cidade vai passar a contar com cinco cursos Técnicos Superiores Profissionais (TeSP), selecionados para responder às necessidades de emprego e qualificação do tecido empresarial local e regional.

A saúde não tem estado bem em Torres Vedras, como houve ocasião de constatar nos debates que a autarquia promoveu em fevereiro. Contudo, começamos a ver alguns frutos (ainda que pequenos, por enquanto) da luta que temos vindo a travar. A remodelação das Urgências do Hospital de Torres Vedras foi assegurada pelo Ministério da Saúde, num investimento a rondar o milhão de euros. Em paralelo e na sequência de inúmeras diligências, foram abertas mais 6 vagas de médicos de família para o nosso concelho. A autarquia continua a fazer o seu trabalho, nesta e noutras áreas, sem espalhafato nem demagogia.

Também a Unidade de Cuidados de Saúde da Ventosa viu aprovada a sua requalificação. A obra pretende melhorar as infraestruturas físicas, proporcionando uma melhoria na qualidade da prestação de cuidados médicos e de enfermagem, bem como de atendimento e acolhimento dos utentes, possibilitando-se igualmente uma melhoria das condições de trabalho dos profissionais. Trata-se de um investimento na ordem dos 700 mil euros, comparticipado a 85% por fundos europeus.

A decisão da multinacional ELIS de se instalar em Torres Vedras, com um investimento de cerca de 20 milhões de euros e a criação de perto de 300 postos de trabalho, a laborar normalmente, é consequência direta, por um lado, da atratividade do concelho de Torres Vedras e, por outro lado, da capacidade de diálogo das partes envolvidas, criando as condições para que aquela decisão tivesse sido tomada, em concorrência com outros municípios. Mais uma vez, o trabalho e o diálogo venceram sem necessidade de espalhafato nem demagogia.

Uma palavra final para os nossos bombeiros que, no nosso território e um pouco por todo o país, mostraram a abnegação e competência que todos lhes reconhecemos. Daqui, o nosso muito obrigado em nome de todos os torrienses!