Torres Vedras

Formação de docentes

Conteúdos desta página:

  1. Missão educar
  2. Moving and Learning Outside

Missão Educar 

“Missão Educar – Professores em ação na Europa” é uma ação do programa Erasmus+ - Ação-Chave 1 - Mobilidade Individual para Aprendizagem,  a qual oferece oportunidade para que os indivíduos possam melhorar as suas competências, aumentar a sua empregabilidade e ganhar consciência cultural.

Através deste projeto, pretende-se criar condições que permitam a melhoria da Educação no concelho.

Missão Educar I – Professores em Ação na Europa

O Consórcio “Missão Educar I – Professores em Ação na Europa” proporcionou a mobilidade de 13 profissionais (3 docentes de cada agrupamento de escolas e 1 técnico da Câmara Municipal de Torres Vedras) da área da educação para a realização de cursos estruturados e atividades de job-shadowing em diversos países da Europa. Permitiu a introdução de novos conhecimentos, competências, práticas e abordagens ao nível dos estabelecimentos escolares do Concelho, entre a educação pré-escolar e o ensino secundário nas áreas linguística, das novas tecnologias ou do desenvolvimento profissional transversal.

Membros do Consórcio

  • Câmara Municipal de Torres Vedras (coordenadora);
  • Agrupamento de Escolas Henriques Nogueira;
  • Agrupamento de Escolas Madeira Torres;
  • Agrupamento de Escolas Padre Vítor Melícias;
  • Agrupamento de Escolas S. Gonçalo.

Missão Educar II – Professores em Ação na Europa

O projeto Missão Educar II será implementado, uma vez mais pela Câmara Municipal Torres Vedras e pelos 4 Agrupamentos de Escolas de Torres Vedras: AE Vítor Melícias, AE São Gonçalo, AE Madeira Torres e AE Henriques Nogueira.

Dois grandes desafios são o ponto de partida para este novo projeto: a falta de motivação dos alunos, que poderá significar a falta de aquisição de conteúdos básicos e transversais e, com isso, a fragilização do seu percurso pessoal e profissional, enquanto adultos e as práticas educativas com alunos com Necessidades Educativas Especiais. Todos os estudos feitos no setor da educação apontam para que a intervenção precoce, já em idade pré-escolar, traz contributos para uma alteração do paradigma da educação, promovendo a motivação dos alunos e facilitando o processo de ensino-aprendizagem na entrada para o 1º ciclo e durante toda a escolaridade obrigatória.

As necessidades das equipas situam-se ao nível de três áreas de intervenção específicas:

1. Inovação Curricular e Combate ao Insucesso Escolar – intervenção precoce através de duas ações:

  • Aprender e brincar ao ar livre/espaços exteriores – Desenvolver e implementar e metodologias de aprendizagem ao ar livre, reconhecendo que através do jogo/brincadeira no espaço exterior é possível promover o desenvolvimento infantil ao nível motor, da destreza, cognitivo, social, emocional, afetivo e cultural;
  • Promoção de uma educação pré-escolar de qualidade – implementar metodologias com enfoque no aprender a aprender e no desenvolvimento de competências sociais de cooperação das crianças.

2. Escola inclusiva – Criar novas ações que permitam a integração dos alunos com Necessidades Educativas Especiais, nomeadamente as questões de alunos com autismo;

3. Gestão Escolar / Liderança – Introduzir novos métodos de planeamento, gestão, organização e direção de atividades educacionais e atualizar métodos e ferramentas de ensino de forma individual, mas também de forma integrada nos Agrupamentos, se necessário com alterações na gestão escolar e nos conteúdos pedagógicos.

Em concreto, propomos a realização de mobilidades para 9 profissionais ligados à educação, dos quais 1 é um elemento da Divisão de Educação da Câmara Municipal Torres Vedras e 8 docentes dos Agrupamentos de Escolas do concelho para realizar as seguintes atividades:

Job Shadowing – Atividades de observação/acompanhamento em contexto laboral subordinados aos temas propostos em candidatura:

  • 4 Docentes
  • 1 Técnico Superior da Divisão de Educação

Os parceiros já identificados resultam de parcerias existentes, de sugestões de outros professores ou de pesquisa e contacto através do E-Twinning:

  • Jardins de Infância Matije Gupca, na Croácia;
  • Escola de primeiro ciclo, na Noruega;
  • ONG PlayWales, no Reino Unido.

As restantes mobilidades ocorrerão na Itália, Reino Unido e Grécia para a realização de cursos estruturados.

Esta aposta na internacionalização da formação de professores e gestores educativos com um consequente alargamento de horizontes e melhoria de práticas, enquadrada num projeto específico que abrange todo o território e os diversos agentes, não só poderá ter impactos nos participantes e organizações, mas também fora destes, em todo o concelho de Torres Vedras.

Existem impactos de competência ao nível dos participantes em mobilidade que têm impacto direto na organização escolar, como é o caso do alargamento da visão do mundo ou a capacidade crítica de os professores pensarem ‘fora da caixa’. Da mesma forma, considerando o papel da Câmara Municipal de Torres Vedras e a interação que existe com os Agrupamentos, prevêem-se impactos nos participantes que terão eco imediato nos Agrupamentos e na gestão da educação ao nível do Concelho.

Os impactos terão como grupo-alvo toda a comunidade educativa do concelho, incluindo-se aqui alunos e
encarregados de educação. É para eles e com eles em mente que todo este projeto se desenvolve, com a intenção de promover o bom desenvolvimento dos futuros cidadãos Torrienses e um percurso escolar de sucesso, que se paute pela igualdade de oportunidades no acesso a uma educação de qualidade.

Missão Educar III – Professores em Ação na Europa

O projeto Missão Educar III – Professores em Ação na Europa é promovido pelo Consórcio Missão Educar, que tem como entidade coordenadora o Município de Torres Vedras e como entidades de envio os 4 Agrupamentos do Concelho: Agrupamento de Escolas de São Gonçalo, Agrupamento de Escolas Padre Vitor Melícias, Agrupamento de Escolas Madeira Torres e Agrupamento de Escolas Henriques Nogueira.

O projeto Missão Educar III, realizado no âmbito do Programa ERASMUS+ - Ação Chave 101, terá a duração de 24 meses, com início a 01/10/2019 e fim a 30/09/2021.

Realizar este projeto impulsionará e patrocinará as Salas do Futuro que serão instaladas em Torres Vedras, conferindo-lhes como referência os níveis de qualidade e inovação europeias, ligando-as a profissionais e parceiros europeus, ajudando à sua correta implementação e exploração e potenciando os seus resultados, nomeadamente no sucesso escolar. Desta forma, será possível a Rede Educativa e cada Agrupamento proceder à melhor adaptação das suas Salas do Futuro em função das suas características e pontos fortes em termos educativos, como é o caso da música, artes, desporto, programação ou robótica.


Objetivos do projeto

  • Formar os responsáveis pela Educação Escolar de Torres Vedras para que sejam capazes de propor alterações nas políticas e práticas educativas do território e para que tenham condições de as levar a cabo, individual e coletivamente;
  • Dotar a rede educativa de Torres Vedras dos conhecimentos, competências e ferramentas adequados para promover e desenvolver as Escolas do Futuro em todo o Concelho, tirando partido das novas ferramentas tecnológicas, enquanto aliadas de um processo de ensino-aprendizagem mais rico, mais inovador e mais participativo;
  • Introduzir uma dimensão transnacional nas práticas e estratégias educativas do Concelho de Torres Vedras, através de espaços e redes de intercâmbio e da aproximação às abordagens, critérios de qualidade, estratégias e visões de outros países e da Europa;
  • Aprofundar a coordenação territorial dos diferentes projetos educativos levados a cabo, em Torres Vedras, por Agrupamentos e Município, visando a união de esforços e visões partilhadas, otimização de recursos humanos e materiais, sinergias e complementaridades.

Consulte aqui o resumo integral do projeto.

 


MLO – Moving and Learning Outside

Este projeto, que nasceu de uma candidatura ao programa "Erasmus+" da União Europeia, procura promover novas estratégias educativas onde o movimento e o usufruto do espaço exterior seja nuclear para o desenvolvimento global das crianças em idade pré-escolar.


voltar ao topo ↑