Torres Vedras

Inclusão de minorias

Projeto ROMED2

O projeto ROMED2 é promovido pelo Conselho da Europa e União Europeia e tem como objetivo principal assegurar a equidade da mediação entre as comunidades ciganas e as instituições públicas, promovendo a mudança através da participação democrática da população. 

Este projeto está atualmente a ser implementado em dez países europeus: Bélgica, Bósnia e Herzegovina, Bulgária, Grécia, Hungria, Itália, Portugal, Eslováquia, Macedónia e Roménia. Em cada país foram selecionados, em média, cinco a seis municípios para implementação.

Em Portugal integram o projeto os Municípios de Beja, Coimbra, Abrantes, Figueira da Foz, Torres Vedras, Barcelos, Seixal, Elvas e Moura.

O currículo do ROMED2 foi desenvolvido por uma equipa de peritos internacionais e ajustado para se adaptar às realidades e ao contexto específico, com a ajuda das Equipas Nacionais de Apoio do ROMED2. Contém módulos e recursos de formação em áreas como liderança, poder, tomada de decisão participativa e inclusiva, gestão de conflitos, desenvolvimento de competências interculturais e gestão da diversidade, entre outras.

Grupo de Ação Comunitária (GAC)

Com vista a impulsionar o projeto ROMED2 a Câmara Municipal de Torres Vedras, em parceria com o delegado nacional do projeto, selecionou um representante da comunidade cigana de Torres Vedras, com vista a dinamizar o Grupo de Ação Comunitária (GAC). Este elemento encontra-se a colaborar com a autarquia desde 2014 sendo que, numa primeira fase, foi inserido através de programa promovido pelo Instituto de Emprego e Formação Profissional, estando atualmente a exercer funções como estagiário profissional.

O GAC de Torres Vedras é composto por cidadãos da comunidade local, homens e mulheres, que se têm vindo a envolver progressivamente no processo democrático do município. Isto traduz-se na possibilidade de transmitirem, de forma organizada, as prioridades a que consideram mais urgente dar resposta, tendo em conta os meios à disposição das autoridades locais, assim como os seus direitos e deveres como cidadãos.

O GAC, através do investimento pessoal dos cidadãos que o integram e pelo indispensável empenho e capacidade de resposta das instituições públicas (nomeadamente a Câmara Municipal de Torres Vedras), tem promovido a criação de contextos de partilha e conduzido à melhoria das relações entre as autoridades locais e as comunidades ciganas. 

Atividades

Neste sentido, e volvido cerca de 1 ano de atividade, o GAC já apresentou duas propostas à Câmara Municipal de Torres Vedras. A primeira, em parceria com a Igreja Evangélica Filadélfia de Torres Vedras, consistiu na solicitação de apoio económico para pagamento do arrendamento da sede da igreja. Em contrapartida, o GAC levou a cabo uma iniciativa de recolha de alimentos, destinados à população carenciada do Concelho. A recolha foi realizada junto de inúmeras famílias de etnia cigana e decorreu durante aproximadamente 1 mês. A instituição escolhida pelo GAC para entrega dos alimentos recolhidos, foi o Centro Social e Paroquial de Torres Vedras (pela sua intervenção com diferentes públicos alvo – crianças, jovens, adultos e séniores). Os alimentos foram distribuídos por agregados familiares carenciados, não ciganos, como gesto de solidariedade da comunidade cigana para com a sociedade maioritária. Pretendeu-se com esta ação solidária promover a participação cívica da comunidade cigana e desmistificar a imagem negativa a ela associada.

A segunda proposta do GAC enfatizou a necessidade de aumentar a empregabilidade da comunidade cigana local. Mais uma vez, o município acedeu colaborar na proposta, tendo colocado 4 elementos da comunidade cigana a exercer atividade profissional (ao abrigo da medida CEI+) – 2 homens na área de espaços verdes e 2 mulheres na área de educação. A curto prazo, pretende-se aumentar o número de colaboradores da comunidade cigana, procurando combater a discriminação destes elementos através da sua plena inserção profissional.

Outras ações

Para além do apoio prestado às iniciativas do GAC, o município tem vindo a encetar esforços no sentido de dinamizar ações (in)formativas para a comunidade em geral, procurando criar contextos de partilha que conduzam à melhoria das relações entre as comunidades ciganas e a sociedade maioritária. Como exemplos de atividades destacamos o “Whorkshop Nacional do Programa Romed” (janeiro de 2015), o “Encontro/Exposição fotográfica Viver o Romed” (novembro de 2015) e a realização de diagnóstico sobre a comunidade cigana local (setembro de 2015).


Contactos

Câmara Municipal de Torres Vedras
Divisão de Desenvolvimento Social

Liliana Cruz
Telefone: 261 320 770 / 261 320 755
E-mails: lilianacruz@cm-tvedras.pt


Texto atualizado em março de 2016