Torres Vedras

Inclusão de minorias

Plano Local de Inclusão da Comunidade Cigana (PLICC) de Torres Vedras

Intitulado Plano Local de Inclusão da Comunidade Cigana (PLICC), este documento constitui o primeiro instrumento de planeamento, de âmbito municipal, em matéria de saber e integração da população cigana, com particular destaque para a participação ativa desta comunidade na construção e implementação de planos de ação. Neste quadro, o PLICC representa um importante passo em matéria de inclusão, na medida em que visa a definição de uma estratégia concertada de inclusão, respeitando as especificidades do território, permitindo otimizar recursos e concertar estratégias, tornando estas últimas mais consequentes e impactantes.

O Plano Local para a Inclusão da Comunidade Cigana de Torres Vedras (PLICC) enquadra-se no âmbito da Estratégia Nacional para a Integração das Comunidades Ciganas 2013-2020 (ENICC), aprovada em Resolução do Conselho de Ministros N.º 25/2013, de 17 de abril de 2013.

Com este plano pretende-se enquadrar o trabalho já desenvolvido e as iniciativas que diretamente contribuem para a melhoria da condição de vida das pessoas que habitam no concelho. Por outro lado, intenta-se apresentar uma série de atividades, resultado de um trabalho de diagnóstico, promovendo a redução de desigualdades, a melhoria das condições existentes, o equilíbrio dos recursos disponíveis, a promoção de uma participação pública e privada ajustada ao contexto de cada pessoa (independentemente da sua condição física, económica ou social), e que as diferenças sejam valorizadas e levadas em consideração na definição, implementação e monitorização de políticas. Assim, o PLICC tem como objetivo principal apresentar as prioridades concelhias em matéria de inclusão da comunidade cigana, materializado em atividades concretas, com objetivos definidos, com públicos-alvo determinados e envolvendo as entidades públicas e privadas que melhor possam contribuir para maximizar os resultados a atingir.

O PLICC concretiza-se pela implementação de medidas e ações transversais, a curto, médio e longo prazo, elaboradas tendo por base os princípios do trabalho em rede e da interdisciplinaridade enfatizando uma abordagem sistémica com ênfase na territorialidade. Para cada ano civil é elaborado um plano de ação, cuja execução é devidamente monitorizada por um conjunto de parceiros locais. 

Algumas atividades implementadas em 2018: mediação intercultural, projeto "Rotas Romani" (em parceria com a Associação MusicÁlareira), organização da II Academia de Política Cigana, tutoria escolar em regime de voluntariado e tutoria laboral, formação modular em Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC), visitas culturais, organização de rastreios de diabetes e hipertensão, início da implementação do projeto “Network for Role Models” (projeto apoiado pela Agência Europeia Erasmus+).

Refira-se a distinção atribuída pela Associação Letras Nómadas ao facilitador/mediador da Câmara Municipal de Torres Vedras, Lindo Cambão, com o prémio “Facilitador do Ano”.

Este plano surge no âmbito do trabalho desenvolvido pelo Município enquanto parceiro da rede ROMED2 (“Democratic Governance and Community Participation Through Mediation”).

Projeto "ROMED2"

O projeto "ROMED2", decorrido entre 2014 e 2018, foi promovido pelo Conselho da Europa e União Europeia e teve como objetivo principal assegurar a equidade da mediação entre as comunidades ciganas e as instituições públicas, promovendo a mudança através da participação democrática da população. Este projeto foi implementado em diversos países europeus, nomeadamente, Bulgária, Bélgica, Grécia, Macedónia, Roménia, Eslováquia, Itália, Hungria, Ucrânia, Alemanha e Portugal. Em Portugal integraram a referida rede os municípios de Elvas, Barcelos, Beja, Figueira da Foz, Seixal, Moura e Torres Vedras. O "ROMED2" utiliza princípios de boa governança e exige a organização da comunidade como meio de desencadear um processo que seja sustentável e justo para todos.

A implementação do projeto "ROMED2" em Torres Vedras compreendeu a definição de um amplo conjunto de objetivos, norteados pelas políticas sociais em vigor, nomeadamente:

Objetivo Geral

  • Assegurar a equidade da mediação entre as comunidades ciganas e as instituições públicas, promovendo a mudança através da participação democrática da população.

Objetivos Específicos

  1. Selecionar, formar e integrar elemento da comunidade cigana como facilitador/mediador nos quadros do Município;
  2. Criar Grupo de Ação Comunitária (GAC)

Em funcionamento desde 2015, o GAC de Torres Vedras é composto por cidadãos da comunidade local, homens e mulheres, que se têm vindo a envolver progressivamente no processo democrático do Município. Isto traduz-se na possibilidade de transmitirem, de forma organizada, as prioridades a que consideram mais urgente dar resposta, tendo em conta os meios à disposição das autoridades locais, assim como os seus direitos e deveres como cidadãos. O GAC, através do investimento pessoal dos cidadãos que o integram e pelo indispensável empenho e capacidade de resposta das instituições públicas (nomeadamente a Câmara Municipal), tem promovido a criação de contextos de partilha e conduzido à melhoria das relações entre as autoridades locais e as comunidades ciganas. 

De entre as várias propostas já apresentadas pelo GAC, destacamos:

  • A recolha de alimentos pela comunidade cigana, destinados a população carenciada apoiada pelo Centro Social e Paroquial de Torres Vedras;
  • A colocação profissional de elementos da comunidade cigana local (com o apoio do Município);
  • A colaboração na dinamização de contextos de partilha que conduzam à melhoria das relações entre as comunidades ciganas e a sociedade maioritária (ex. Workshop Nacional do Programa "Romed", Encontro/Exposição fotográfica Viver o Romed);
  • Colaboração na recolha e preenchimento de questionários pela população cigana com vista à elaboração do 1.º diagnóstico sobre a comunidade cigana local.

     
      3. Elaborar diagnóstico da população cigana residente em Torres Vedras;

     
      4. Colaborar com os diversos agentes locais na implementação de medidas adequadas à plena integração da população alvo na sociedade maioritária.

Links


Contactos

Câmara Municipal de Torres Vedras
Divisão de Desenvolvimento Social – Área de Habitação

Responsável de Área: Liliana Cruz (lilianacruz@cm-tvedras.pt)

Facilitador/Mediador do Município: Lindo Cambão (lindocambao@cm-tvedras.pt)

Telefone: 261 320 770 / 261 320 755


Notícias / Desenv. social

Imagem da Notícia Economia social: Câmara Municipal apoia 20 organizações do Concelho

Economia social: Câmara Municipal apoia 20 organizações do Concelho

11.08.2020

A Câmara Municipal de Torres Vedras vai prestar apoio financeiro a 20 organizações de economia social do Concelho. A medida, que integra o Plano Municipal de Apoio Extraordinário no âmbito da doença COVID-19, irá disponibilizar 100 mil euros às 20 organizações que se candidataram ao apoio. (...)

Imagem da Notícia Coordenação da resposta ao surto de COVID-19 no Lar de Nossa Senhora da Luz
Imagem da Notícia COVID-19: Atribuídos 150 vales para aquisição de bens essenciais no Concelho
Imagem da Notícia Torres Vedras destina 100 mil euros a organizações de economia social
Imagem da Notícia COVID-19: Serviços municipais retomam funcionamento

COVID-19: Serviços municipais retomam funcionamento

11.05.2020

O Torres Vedras LabCenter, o Centro Local de Apoio à Integração de Migrantes (CLAIM) e o Canil Municipal retomam o atendimento ao público esta quinta-feira, 14 de maio. Também a Pista Municipal de Atletismo Carlos Lopes irá reabrir esta quinta-feira. (...)

Imagem da Notícia Delegação da Cruz Vermelha e farmácias homenageadas em Torres Vedras
voltar ao topo ↑