Torres Vedras

“Temporada Darcos” continua a projetar-se no panorama artístico europeu

18.12.2019

Concerto de Natal

De Torres Vedras para a Europa…

A “Temporada Darcos” é uma iniciativa na área da música clássica que, tendo como ponto de partida o Concelho, e sendo coorganizada pela Câmara Municipal, continua a projetar-se com crescente relevância no panorama musical nacional e europeu. Em 2019 teve a sua 12.ª edição que se saldou por um retumbante sucesso.

Recorde-se que a “Temporada Darcos" constitui-se como uma iniciativa singular no panorama artístico na qual se divulga a música clássica segundo diversas abordagens dadas por autores europeus de referência. Dirigida pelo compositor e maestro torriense Nuno Côrte-Real, os espetáculos desta temporada são na sua maioria interpretados pelo grupo Ensemble Darcos, sendo que aclamados solistas e orquestras nacionais e internacionais têm participado nesta iniciativa.

No dia 7 de dezembro a edição de 2019 da “Temporada Darcos” chegou ao seu término com um Concerto de Natal realizado no Hotel Golf-Mar, o qual foi interpretado pela soprano Ana Paula Russo e pelo pianista Hélder Marques (membro do Ensemble Darcos). Duas semanas antes, também no âmbito desta temporada, o Teatro-Cine tinha sido palco do pré-lançamento do CD Cante e de um concerto homónimo, interpretado pelo Coro Ricercare e o Ensemble Darcos.          

Saliente-se os outros concertos que o Concelho acolheu este ano no âmbito da "Temporada Darcos": a Integral das Suites para Violoncelo de J. S. Bach, interpretado pelo violoncelista Filipe Quaresma (também elemento do Ensemble Darcos), na Igreja da Misericórdia, nos dias 21 e 22 de setembro; a apresentação do "Proyeto Ibérico Orquestral", com a Orquestra Sinfónica de Castilla y Leon, nos claustros da Igreja da Graça, no dia 19 de julho, concerto que foi repetido no dia seguinte no Museu do Dinheiro; o Da Vinha ao Vinho, realizado no dia 29 de junho, na Quinta da Almiara, o qual foi interpretado pelo Ensemble Darcos e pela soprano Ana Maria Pinto; o concerto da Orquestra Académica Metropolitana, no dia 26 de maio, no Teatro-Cine; o Concerto Clássico apresentado pelo Ensemble Darcos, no dia 18 de maio, no Hotel Golf Mar; o Concerto à Beira-Mar, interpretado pelo mesmo agrupamento, no mesmo local, no dia 23 de março; o lançamento do CD Lagarto Pintado - que resultou de uma colaboração entre o Ensemble Darcos, a Plataforma Cultural Estufa e a Escola de Música Luís António Maldonado Rodrigues - no dia 9 de fevereiro, no auditório do Edifício dos Paços do Concelho; e o concerto da Huberman Philarmonic, no dia 2 de fevereiro, no Teatro-Cine, que foi repetido no dia seguinte no Centro Cultural de Belém, e que tinha tido uma primeira apresentação na Filharmonia Czestochowska (Polónia). De referir, também, a realização no Hotel Golf-Mar do 3.º Workshop Musical para Miúdos e Graúdos, no dia 23 de março, igualmente no âmbito da 12.ª “Temporada Darcos”.

Já no que se refere aos concertos da edição deste ano desta temporada realizados fora das fronteiras do Concelho, saliente-se o Florbela Espanca em Moscovo, que aconteceu nos dias 9 e 10 de abril, na capital russa, interpretado pelo Ensemble Darcos e pela soprano Cecília Rodrigues; os concertos da Orquestra Sinfónica del Principado de Asturias, em Oviedo, no Centro Cultural e de Congressos das Caldas da Rainha e no Centro Cultural de Belém, nos dias, respetivamente, 24, 26 e 27 de outubro; e o Agora Muda Tudo, que coincidiu com o lançamento do CD homónimo, interpretado pelo Ensemble Darcos e pela cantora Maria João, no dia 28 de março, na Culturgest. Referência ainda desta 12.ª edição da "Temporada Darcos" para o concerto Time Stands Still, apresentado no dia 27 de abril, no Centro Cultural de Belém, interpretado pelo Ensemble Darcos e pela soprano Ana Quintans; e os concertos do ciclo Antena 2, no ISEG, interpretados pelo Ensemble Darcos, nos dias 22 de março, 28 de junho e 22 de novembro (este segundo com a participação da soprano Ana Maria Pinto).

“Temporada Darcos”, uma iniciativa que, segundo a vereadora da Cultura da Câmara Municipal, Ana Umbelino, é um exemplo do “princípio de que as Artes, em particular a Música, podem dirimir distâncias e erguer pontes entre cidadãos e cidadãs provindos de diferentes geografias, mundos sociais e pertenças”.


voltar ao topo ↑