Torres Vedras

Município tem participado com distinção na iniciativa “Network for role models”

20.01.2020

Logo do projeto

Devido ao seu trabalho a favor da promoção dos direitos sociais de todo(a)s, no âmbito da iniciativa europeia “Network for role models”, o Município foi distinguido com o Prémio Inclusivo E+, atribuído pela agência nacional Erasmus+, no IV Seminário Erasmus+, o qual se subordinou à temática “Equidade e Inclusão: Potencialidades e Programa Call 2020”.

De referir que “Network for role models” é uma iniciativa promovida pela Comissão Europeia que visa reforçar a inclusão social, a compreensão intercultural e o pensamento crítico, de forma a promover a aceitação da diferença, encorajando as pessoas a refletirem sobre o lugar que ocupam na comunidade. Baseia-se na seleção de role models, ou seja, de cidadãos da comunidade local que através dos seus percursos de vida são exemplos inspiradores para a construção de uma sociedade mais justa, tolerante e inclusiva.

Em Torres Vedras foram selecionados três role models, os quais são naturais e residentes na Cidade: Lindo Cambão, funcionário municipal, de etnia cigana, selecionado pelo Município como facilitador/mediador entre a comunidade cigana e a sociedade maioritária; Yuri Vieira, também de etnia cigana, estudante de Gestão Turística e Hoteleira na Escola Superior de Turismo e Tecnologias do Mar; e Leonel Alves, também funcionário municipal, invisual desde 2014.

Educação inclusiva, desigualdade e discriminação de pessoas com necessidades especiais e de etnias minoritárias foram as temáticas em que se centrou em Torres Vedras o trabalho desenvolvido no âmbito da primeira edição da iniciativa “Network for Role Models”, o qual incluiu a realização de 11 atividades.

Dessas, refira-se: a sessão de apresentação pública do projeto, realizada no dia 23 de outubro de 2018, no auditório do Edifício dos Paços do Concelho; a participação de dois dos role models locais no workshop “Papel e Palavra”, atividade incluída nas comemorações da Semana da Igualdade e do Combate à Exclusão Social (ação enquadrada no Plano Municipal para a Igualdade), realizado também no dia 23 de outubro de 2018; a participação, também de dois dos role models locais, numa tertúlia intitulada “Crescer Cigano”, dinamizada pelo Município em parceria com a Associação MusicÁlareira, no dia 24 de novembro de 2018; a participação de um role model local na iniciativa “Conversas revelando a (D)Eficiência”, relacionada com o Dia Internacional da Deficiência, realizada na Escola Secundária Henriques Nogueira, no dia 3 de dezembro de 2018; a participação de um role model local no Conselho Municipal de Juventude, onde deu a conhecer o seu projeto e história de vida inspiradora, no dia 12 de dezembro de 2018; a apresentação da iniciativa “Network for role models” numa reunião plenária da Comissão Social da Freguesia de Santa Maria, S. Pedro e Matacães, realizada no dia 13 de dezembro de 2018, em que os role models locais tiveram a oportunidade de dar o seu testemunho de vida; também a apresentação da iniciativa, no Centro de Intervenção Comunitária do Bairro da Boavista/Olheiros, no dia 9 de abril de 2019, em que dois dos role models locais deram mais uma vez o seu testemunho de vida; e a apresentação de novo da iniciativa “Network for role models”, com a presença de dois dos role models locais, no dia 27 de maio de 2019, na Associação de Solidariedade e Ação Social de Matacães.

O balanço do trabalho desenvolvido em Torres Vedras no âmbito desta primeira edição da iniciativa “Network for Role Models” é extremamente positivo, não apenas pelo sucesso das ações realizadas, como também pelo impacto que as mesmas tiveram junto da comunidade.

De referir que outros sete municípios nacionais integram esta iniciativa: Câmara de Lobos, Loulé, Loures, Valongo, Vila Real, Palmela e Santa Maria da Feira. Estes dois últimos municípios foram também distinguidos com o Prémio Inclusivo E+.

 

Testemunhos dos role models locais:

Leonel Alves: “... fiquei mais sensível aos problemas da comunidade cigana… melhorei a minha capacidade de comunicação e relacionamento com as pessoas, especialmente com os jovens… senti-me mais confiante e determinado para o futuro…”.

Lindo Cambão: “Adquiri mais conhecimentos sobre as pessoas cegas, e fiquei surpreso com as dificuldades que têm no seu dia-a-dia e a forma como lidam com a situação, quase sempre com um sorriso… foi importante darmos a conhecer as tradições da comunidade cigana relativamente à frequência escolar… senti a comunidade cigana mais compreendida e melhorei a minha forma de comunicar. Ao participar nesta iniciativa fiquei com uma atitude mais positiva para o futuro”.

Iuri Vieira: "… foi um projeto que eu considerei interessante e um projeto ambicioso. Senti que este projeto foi bom para mim pois foi onde me senti valorizado, por ser o que sou".

voltar ao topo ↑