Torres Vedras

Desenhadores de todo o país passaram pela encosta de S. Vicente

26.07.2017

Cerca de 50 desenhadores de todo o país passaram pela encosta de S. Vicente entre os dias 17 e 22 de julho para desenhar esta área de Torres Vedras que vai a breve prazo começar a ser requalificada pela Câmara Municipal.

O momento alto desta atividade aconteceu no dia 22, quando se juntaram 45 desenhadores de todas as idades, culminando numa tertúlia realizada na Ermida, com António Procópio e Suzana Nobre, que contou com a presença não só de desenhadores, mas também de elementos da comunidade que vieram assistir à apresentação dos desenhos – retratos de pessoas e sua história de vida, assim como a representação das suas ruas e casas.

Nesta iniciativa esteve presente um elemento da Direção-Geral do Património Cultural que fez notar que a mesma é inédita no país, tendo destacado o caráter social que adquiriu.

Já a Ordem dos Arquitetos demonstrou interesse em promover a iniciativa, eventualmente com uma apresentação da mesma na sua sede.

Recorde-se que o caráter historicamente marginal e periférico que a zona da encosta de São Vicente apresenta no contexto do sistema urbano da cidade é fruto de um processo de desenvolvimento urbano que privilegiou o crescimento para sul, onde surgiam os “bairros novos” para habitação, destinados essencialmente a uma classe média/alta. A norte, cresciam os “bairros operários” de habitação coletiva que respondiam à muita procura, provocada pelo forte crescimento das indústrias instaladas junto à linha férrea.

Nos próximos anos, este contexto urbano e social sofrerá uma enorme reconfiguração, através das obras previstas pelo PEDU - Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano, cofinanciadas em 85% pelo Programa Operacional Regional do Centro, Portugal2020 e União Europeia, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER).

Das obras a realizar destaca-se a reabilitação do antigo Matadouro Municipal, onde nascerá o futuro Centro de Artes e Criatividade, criando assim uma nova centralidade na cidade.

Com o objetivo de documentar a realidade atual, assim como a evolução das obras, entendeu o Município avançar com um conjunto de iniciativas que visam captar, através de imagens e testemunhos, a identidade da encosta de S. Vicente.

Foi neste âmbito que nasceu o evento “Desenho de Rua – Encosta de S. Vicente”, que teve como parceiro operacional a Cooperativa de Comunicação e Cultura.

De referir que o caráter inovador do projeto teve um papel determinante na atração de parceiros de dimensão nacional e internacional para o mesmo, nomeadamente a Direção-Geral do Património Cultural, a Ordem dos Arquitetos, a Associação Portuguesa de Reabilitação Urbana, a Oeste Sketchers e a Winsor&Newton.