Torres Vedras

Centro de interpretação foi criado no Forte de S. Vicente

03.07.2017

Torres Vedras tem agora um equipamento evocativo de um acontecimento histórico ocorrido há cerca de dois séculos no seu território, o qual foi decisivo não apenas para o país mas também para a própria Europa.

Trata-se do Centro de Interpretação das Linhas de Torres Vedras, situado no Forte de S. Vicente, o qual foi inaugurado este sábado, dia 1 de julho.

Esse ato contou com a presença do secretário de estado da Defesa Nacional, Marcos Perestrello, que foi recebido ao som da bem apropriada música dos Gaiteiros da Freiria. Seguiram-se os discursos da cerimónia, momento em que intervieram também o presidente da Freguesia de Santa Maria, S. Pedro e Matacães, Francisco Martins, e o presidente da Câmara Municipal, Carlos Bernardes. A cerimónia prosseguiu com o descerramento da placa inaugural do equipamento, uma visita-guiada ao mesmo, uma recriação do sistema de telégrafo de balões e do de telégrafo de ponteiros e uma degustação de gastronomia oitocentista.

De referir que o Centro de Interpretação das Linhas de Torres Vedras, localizado mais concretamente na capela de S. Vicente, constitui-se como um espaço que pretende fornecer elementos para a contextualização histórica e interpretação das estruturas militares que integram o sistema defensivo das Linhas de Torres Vedras, erigidas no decorrer da terceira invasão francesa a Portugal. Pretende também promover a visita a este património histórico-militar, que tem vindo a ser recuperado e valorizado no âmbito da Rota Histórica das Linhas de Torres.

Este equipamento conta com uma área de receção, onde se exibe um filme promocional da Rota Histórica das Linhas de Torres, e tem uma mini-loja na qual são vendidos produtos de merchandising.

A nave da capela acolhe uma exposição dedicada à temática das Linhas de Torres Vedras, a qual utiliza diferentes recursos museográficos como infografias, maquetas, recursos áudio, audiovisual e multimédia. 

O anexo da capela foi convertido em auditório para visionamento de um filme-documentário sobre as Linhas de Torres Vedras, o qual utiliza filmagens realizadas no âmbito da rodagem do filme “Linhas de Wellington” e conta com uma versão em inglês.

115 mil euros foi o valor investido pela Câmara Municipal neste centro interpretativo.