Torres Vedras

Mar e zona costeira

O litoral Torriense estende-se desde a Praia do Valmitão, a norte, até à Praia da Assenta, a sul, destacando-se a Praia de Santa Cruz no centro.

Ao longo da faixa costeira do Concelho de Torres Vedras podemos encontrar linhas de costa de diversos tipos (Silva, H. e Santos, J.):

  • Retilíneas arenosas precedidas por arribas, nas quais se incluem todo o conjunto das praias de Santa Cruz, designadamente desde a Praia da Mexelhoeira, a norte, até à Praia de Santa Cruz, a sul;
  • Arenosas configuradas por baía (Praias de Porto Novo, Santa Rita e Praia Azul);
  • Rochosas e arenosas precedidas por arribas (Praias do Seixo, Guincho, Formosa, parte norte da Praia Azul, Cambelas e Assenta);
  • Totalmente rochosas (incluindo seixo rolado), com troços recortados por pequenas baías (Praia das Amoeiras até à Praia Azul Norte, Foz do Sizandro até Cambelas, e desta até à Assenta);
  • Praias associadas a dois sistemas dunares, que estão assentes em plataforma litoral em rampa, localizados em desembocaduras de rios ou sistemas de ribeiras e associados a dois largos vales, que permitem a progressão das dunas para o interior (Praias de Santa Rita e Azul).

Programa Bandeira Azul

O Programa da Bandeira Azul da Europa iniciou-se à escala europeia, em 1987, integrado no programa do Ano Europeu do Ambiente. Esta iniciativa da Foundation for Environmental Education (FEE), com o apoio da Comissão Europeia, tem como objetivo elevar o grau de consciencialização dos cidadãos em geral, e dos decisores em particular, para a necessidade de se proteger o ambiente marinho e costeiro e incentivar a realização de ações conducentes à resolução dos problemas aí existentes.

O galardão é atribuído anualmente às praias e portos de recreio que cumpram um conjunto de critérios de informação e sensibilização ambiental, qualidade da água, gestão ambiental e equipamentos e de segurança e serviço dos utentes.

A Câmara Municipal de Torres Vedras participa neste programa desde 1989, com a atribuição deste galardão à Praia Centro – Santa Cruz.


Projeto Praia Acessível – Praia para Todos

O projeto Praia Acessível – Praia para Todos” é promovido pelo Instituto Nacional para a Reabilitação (INR), com o apoio do Instituto da Água (INAG), Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP), Turismo de Portugal (TP) e as Administrações de Região Hidrográfica.

Critérios definidos para a atribuição da bandeira “Praia Acessível”:
Para merecerem a designação de praias acessíveis, com direito ao galardão indicativo de acessibilidade total, há que satisfazer um conjunto de seis imperativos, designadamente:

  • Acesso pedonal;
  • Estacionamento ordenado;
  • Acesso à zona de banhos;
  • Passadeira no areal;
  • Sanitários adaptados;
  • Acesso ao posto de socorros.

Como fatores facultativos consideram-se, ainda, o acesso a bares e restaurantes e a existência  de apoios anfíbios para o banho.


Projeto Praia Saudável

O projeto “Praia Saudável”, que resulta da cooperação entre a Fundação Vodafone Portugal, a Marinha, o Instituto da Água, o Instituto da Conservação da Natureza e da Biodiversidade, o Instituto Nacional para a Reabilitação e a Associação Bandeira Azul da Europa, foi iniciado em 2005 e abrange mais de 100 zonas balneares de Portugal Continental e Regiões Autónomas.

O seu principal objetivo é contribuir para o aumento da segurança e qualidade do ambiente nas praias, assim como das acessibilidades para pessoas com mobilidade condicionada.

No concelho de Torres Vedras já foram contempladas as Praias Santa Rita Norte, Centro-Santa Cruz, Porto Novo e Física tendo sido disponibilizados equipamentos, tais como: telefones móveis aos nadadores-salvadores, painéis informativos, tiralôs, posto identificação de praia (mastro + boia) e passadeiras acrílicas.

Por outro lado, o “SOS Praias”, um sistema de alerta e apoio ao salvamento, desenhado especialmente para zonas balneares não vigiadas entrou em funcionamento em 2008 na Praia do Amanhã (Vigia), resultante de um protocolo entre a Fundação Vodafone e a Câmara Municipal de Torres Vedras.


Qualidade de Ouro

A distinção Praia Qualidade de Ouro é atribuída pela Quercus - Associação Nacional de Conservação da Natureza, traduzindo-se num reconhecimento público e numa garantia de fiabilidade no que respeita à boa qualidade da água. A Quercus recorre, anualmente, à informação pública oficial disponibilizada pela Agência Portuguesa do Ambiente, confirmando a excelência da água na última época balnear. Fundamenta-se ainda na classificação atribuída nos últimos cinco anos, tendo por base as análises às águas balneares classificadas como Excelente.


Zero Poluição

Torres Vedras é o concelho português com mais praias sem poluição, com sete praias onde não foi detetado qualquer indício de poluição nas análises efetuadas às águas durante as épocas balneares de 2016, 2017 e 2018.

A classificação é atribuída pela ZERO – Associação Sistema Terrestre Sustentável, que tem como base dados da Agência Portuguesa do Ambiente. Para alcançar o registo ZERO poluição, as praias têm de apresentar classificação Excelente ao longo das três últimas épocas balneares, assim como apresentar valores zero ou inferiores ao limite de deteção em todas as análises efetuadas aos dois parâmetros microbiológicos controlados e previstos na legislação.


Monitorização da Qualidade das Areias das Praias

Durante os meses de junho, julho e agosto realizaram-se nas Praias Azul, Santa Cruz – Centro, Navio e Santa Rita – Norte análises à qualidade microbiológica das areias.
As análises foram efetuadas no âmbito do "Programa de Monitorização da Qualidade das Areias das Praias", levado a cabo pela Câmara Municipal de Torres Vedras desde de 2006 e realizadas pelo laboratório da Agência Portuguesa do Ambiente.

Verificou-se que as areias destas praias apresentavam valores abaixo dos "Valores Limite Propostos", de acordo com os relatórios da entidade que realizou as análises, a Agência Portuguesa do Ambiente.

As conclusões gerais do referido Programa de Monitorização destacam os seguintes factores como aqueles que influenciam positivamente a qualidade das areias das praias mencionadas:

  • Recolha frequente do lixo abandonado na areia;
  • Colocação de recipientes de lixo adequados à dimensão da praia e espaços adjacentes;
  • Identificação e tratamento de fontes de contaminação adjacentes à praia (exemplo: cursos de água afluentes à praia tal como ribeiras);
  • Remoção mecânica diária de lixos, revolvendo o areal, arejando-o e renovando a exposição da areia aos raios UV do Sol;
  • Monitorização da qualidade das areias em zonas balneares.

Resultados das análises:

voltar ao topo ↑