Torres Vedras

Perguntas Frequentes

Legislação

  • A que é que a lei obriga?

Tem de se cortar as ervas, os arbustos e as árvores de forma a criar faixas de proteção em torno das habitações, aglomerados e estradas. Estas regras são apenas para meios rurais e florestais.

  

  • O que se tem de fazer?

É obrigatório proceder à gestão de combustíveis numa faixa mínima de 50 metros à volta das edificações ou instalações isoladas (habitações, estaleiros, armazéns, oficinas, fábricas ou outros edificações) inseridas nos espaços rurais ou florestais. Esta faixa é medida a partir da parede exterior da edificação. No caso dos aglomerados populacionais (10 ou mais casas) esta faixa de proteção estende-se até aos 100 metros, sendo a responsabilidade de execução dos proprietários.

Ao longo das estradas deverá haver uma faixa de gestão de combustível de 10 metros ou superior para cada um dos lados, sendo a responsabilidade da execução do gestor da via.

  

  • Quem tem que executar as faixas de gestão de combustível (limpeza de terrenos)?

Todos os proprietários, arrendatários, usufrutuários e entidades que detenham terrenos em áreas rurais. São igualmente obrigados a fazer a gestão de combustível as entidades responsáveis pelas redes rodoviária, ferroviária, elétrica, entre outras, bem como as entidades gestoras de áreas industriais, parques de campismo, centros logísticos e outras infraestruturas.

 

  • A fiscalização do cumprimento da lei é igual em todo o país?

Não, devido à existência de zonas definidas como prioritárias. Entre 16 de março e 30 de abril foram fiscalizadas os terrenos nas freguesias da primeira prioridade e entre 1 e 31 de maio a vigilância incidiu sobre os terrenos nas freguesias de segunda prioridade.

  

  • O meu vizinho não limpou o terreno ao lado da minha casa. A GNR já levantou o auto de contraordenação. O que posso fazer?

A câmaras municipais garantem a realização de todos os trabalhos de gestão de combustível, devendo substituir- se aos proprietários e outros produtores florestais em incumprimento, procedendo à gestão de combustível prevista na lei. Para o cumprimento da execução coerciva dos trabalhos que se mostrem necessários ao pleno cumprimento das medidas preventivas, as câmaras municipais contam com a colaboração das forças de segurança.

  

  • Junto à minha casa, dentro do perímetro urbano, há um terreno cheio de silvas densas, do qual desconheço o proprietário. O que devo fazer?

Deverá alertar as autoridades competentes para tal situação, nomeadamente a Câmara Municipal ou Junta de Freguesia. Pode ainda usar o número de telefone 808 200 520 para reportar a situação.

  

  • Quem tem de a pôr em prática?

Todos os proprietários, arrendatários, usufrutuários e entidades que detenham terrenos em áreas rurais. São igualmente obrigados a fazer a gestão de combustível as entidades responsáveis pelas redes rodoviária, ferroviária, elétrica, entre outras, bem como as entidades gestoras de áreas industriais, parques de campismo, centros logísticos e outras infraestruturas.

  

  • Nas cidades, qual a distância do pé da árvore ao prédio? A lei das Faixas de Gestão de Combustível não é para cidades?

A lei aplica-se nas zonas rurais e florestais, incluindo as confinantes com áreas urbanas. Assim, importa garantir sempre a existência de uma faixa de proteção de 100 metros em torno dos aglomerados populacionais. As áreas de interface entre a floresta e as áreas urbanas são de elevado risco e é essencial fazer a gestão de combustível.

  

  • As câmaras podem ter acesso aos terrenos?

Entre 1 e 31 de maio as câmaras vão substituir-se aos proprietários e produtores florestais em incumprimento com a limpeza, tendo obrigatoriamente acesso aos terrenos. Antes de assumir essa responsabilidade os proprietários são notificados da infração tendo cinco dias para regularizar a situação. Havendo falta de resposta as autarquias têm livre acesso.

  

  • Quem paga a limpeza realizada pelas autarquias? 

Cabe aos proprietários em incumprimento o pagamento da limpeza realizada pelas autarquias.

 

  • Qual o valor das multas?

Para levar os proprietários a limpar os terrenos, o Governo subiu o valor das multas para o dobro, de acordo a Lei do Orçamento do Estado para 2018e 2019. Durante o ano de 2018 e 2019, as coimas a que se refere o artigo 38.º do Decreto -Lei n.º 124/2006, de 28 de junho, na sua redação atual, são aumentadas para o dobro. Desta forma, as coimas vão oscilar entre os 280 euros e os dez mil euros no caso de um proprietário singular e para os três mil a 120 mil euros para as pessoas coletivas. Até ao ano passado, as coimas em vigor eram de 140 euros a cinco mil euros para as pessoas singulares e de 800 a 60 mil euros para as empresas. De acordo com a lei, 60% da receita das coimas vai para o Estado, 20% para a autarquia (entidade autuante) e outros 20% para o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF).  

 

Limpeza

  • O que significa gestão de combustíveis?

Entende-se por gestão de combustíveis a redução de material vegetal e lenhoso de modo a evitar a ignição e a dificultar a propagação do fogo na vertical (do estrato herbáceo para os matos e destes para as copas) e na horizontal (ao longo dos diferentes estratos). De modos mais simples e claros, remover a vegetação espontânea como também a realização de trabalhos silvícolas nas árvores deixadas no terreno.

  

  • A gestão de combustíveis protege-me?

Sim e às outras pessoas também. Quando fogo chega as áreas em que a faixa de gestão de combustíveis foi realizada, a propagação do incêndio fica dificultada não permitindo que a sua grande intensidade chegue perto das edificações ou as suas envolventes. Com esta prática ficam mais seguras e protegidas. Por outro lado, facilita a acessibilidade dos bombeiros e outros operacionais, tornando a sua intervenção mais eficaz e segura.

 

  • A gestão de combustíveis protege a floresta?

No caso de um incêndio de grandes dimensões, esta prática reveste-se de extrema importância pois garante a descontinuidade do material combustível, dificulta a propagação do incêndio e diminui a sua intensidade, permitindo ainda uma maior eficácia para o combate. Também a gestão de combustíveis ao longo das estradas cria melhores condições para evitar a progressão do fogo e permite o acesso e circulação.

 

  • O objetivo é o de aumentar a segurança das pessoas e bens?

A gestão do combustível florestal junto às edificações e aos aglomerados populacionais é vital para evitar tragédias como as que aconteceram em junho e outubro de 2017.

  

  • Tem de se cortar tudo junto às casas?

A gestão de combustível não significa eliminar toda a vegetação. Uma árvore, desde que podada e localizada a uma distância entre copas de quatro metros de outras árvores e a mais de cinco metros da casa, pode ser mantida. Devem ser evitadas espécies de elevada inflamabilidade na área envolvente da casa. No caso dos eucaliptos e Pinheiros Bravos a distância entre copas é de 10 metros.

 

  • E as árvores de fruto?

As árvores de fruto não têm de ser cortadas.

 

  • E quanto a pinheiro e eucaliptos perto de casas?

Os pinheiros ou os eucaliptos que estejam a menos de cinco metros das casas têm de ser cortados. Numa distância de 50 ou 100 metros, a contar das casas, as copas dos pinheiros ou dos eucaliptos devem estar afastadas 10 metros umas das outras, pelo que poderá ser necessário cortar a maioria dos pinheiros ou eucaliptos.

  

  • Pode-se cortar todo o tipo de árvores?

Não. Determinadas árvores são legalmente protegidas, como o sobreiro e a azinheira que só podem ser cortadas com autorização do Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF). As árvores de interesse público também são consideradas protegidas.

  

  • E se forem espécies diferentes de pinheiros e eucaliptos?

Numa distância de 50 ou 100 metros, a contar das casas, as copas das árvores devem estar afastadas 4 metros umas das outras e a mais de 5 metros das paredes de edifícios, pelo que poderá ter de cortar algumas.

 

  • Tenho um pinhal cuidado mas que está muito distante das casas e das estradas. É um pinhal adulto plantado com distância de 2m de copa. Tenho de abater as árvores?

Não, pois não se encontra dentro de uma faixa de gestão de combustíveis.

 

  • A minha casa fica no perímetro florestal e num dos lados tem uma estrada. Os 50 metros contam mesmo depois da estrada?

Apesar de existir a estrada, a gestão de combustível deverá abranger um raio de 50 metros, medidos a partir da casa.

  

  • Se as árvores tiverem só 4,5 metros de altura é preciso fazer desramação?

Todas as árvores devem estar desramadas em 50 % da sua altura até que atinjam os 8 m. No caso referido, as árvores devem ser desramadas até aos dois metros e 25 centímetros de altura, medidos a partir do solo.

  

  • Quanto custa uma limpeza de terreno?

Irá depender do orçamento de cada entidade competente pela limpeza e pelo tamanho do espaço que será necessária a realização da limpeza.  

 

  • Tenho uma parcela de floresta que fica junto de um aglomerado populacional. Ao fazer a gestão de combustível, a quantos metros das casas podem ficar as primeiras árvores?

Cabe aos proprietários, arrendatários, usufrutuários ou entidades que, a qualquer título, detenham terrenos inseridos na faixa de 100 metros envolvente do aglomerado populacional, a gestão de combustível nos respetivos terrenos. Não poderão existir árvores a menos de 5 metros das casas.

 

  • Devo limpar as copas 4m acima do solo independentemente da espécie?

Sim. Se a árvore tiver menos de oito metros, basta limpar metade.

 

  • A quem me devo dirigir em caso de incumprimento pelo infrator?

Deverá alertar as autoridades competentes para tal situação, nomeadamente a GNR e a Câmara Municipal.

 

 

Período critico e queimas

  • O que é o período crítico?

É o período durante o qual vigoram medidas e ações especiais de prevenção contra incêndios florestais, por força de circunstâncias meteorológicas excecionais. De acordo com o Artigo 2.º da Lei n.º 76/2017, de 17 de agosto, o período crítico no âmbito do SDFCI vigora de 1 de julho a 30 de setembro, podendo a sua duração ser alterada, em situações excecionais, por despacho do membro do governo responsável pela área das florestas.


  • Quais são as interdições durante o período crítico?

Nos espaços florestais e agrícolas não é permitido:

    • Fumar, fazer lume ou fogueiras;
    • Fazer queimas ou queimadas;
    • Lançar foguetes e balões de mecha acesa;
    • Fumigar ou desinfestar apiários, salvo se os fumigadores estiverem equipados com dispositivos de retenção de faúlhas;
    • Circulação de tratores, máquinas e veículos de transporte pesados que não possuam extintor, sistema de retenção de fagulhas ou faíscas e tapa chamas nos tubos de escape ou chaminés.

  

  • O que é uma queimada? E uma queima?

Uma queimada é quando se usa o fogo para renovação de pastagens e eliminação de restolho e ainda, para eliminar sobrantes de exploração agrícola ou florestal e que estão cortados mas não amontoados. Uma queima de amontoados é quando se utiliza o fogo para eliminar sobrantes de explorações agrícolas ou florestais, que estão cortados e amontoados.

  

  • É possível realizar uma queima no verão?

No verão é quando vigora o período crítico e, durante este, não se pode realizar queimas nos espaços rurais – alínea b) do n.o 1 do artigo 28.o do Decreto-Lei n.o 124/2006 de 28 de junho alterado pelo Decreto-Lei n.o 17/2009, de 14 de janeiro – apenas existe uma exceção para a queima de sobrantes de exploração decorrente de exigências fitossanitárias de cumprimento obrigatório, a qual deverá ser realizada com a presença de uma unidade de um corpo de bombeiros ou uma equipa de sapadores florestais.

  

  • Quando se pode fazer uma queima?

Após comunicação prévia obrigatória através deste site podem ser realizadas queimas em todos os espaços rurais, fora do período critico e desde que não se verifiquem os índices de risco temporal de incêndio de níveis muito elevado e máximo.

  

  • Quando se pode fazer uma queimada?

A realização de queimadas só é permitida fora do período crítico e desde que o índice de risco temporal de incêndio seja inferior ao nível elevado e também só é permitida após licenciamento na respetiva câmara municipal, na presença de técnico(a) credenciado(a) em fogo controlado ou, na sua ausência, de equipa de bombeiros ou de equipa de sapadores florestais.

voltar ao topo ↑