Torres Vedras

Carta Verde de Torres Vedras

A Carta Verde de Torres Vedras pretende ser um instrumento que permita ao Município de Torres Vedras a conservação e gestão dos espaços e naturais e semi-naturais fundamentais para o adequado desenvolvimento dos ciclos e processos biofísicos.

Num território profundamente transformado pelo homem, com a paisagem extremamente fragmentada, o que resta de espaços verdes de razoável dimensão, com continuidade e diversidade de habitats, tem um valor acrescido e altamente significativo.

Assim, uma pequena zona húmida, como a existente na Foz do Sizandro, irrelevante se comparada com os grandes sapais da Ria de Aveiro ou do Estuário do Tejo, assume relevância no contexto municipal e, se protegida e valorizada, pode ter importância nacional no quadro do conjunto de zonas húmidas importantes, por exemplo, para suporte das migrações das aves.

Neste trabalho faz-se o levantamento, caracterização e proposta de estratégia de conservação de cada um desses espaços, a par da caracterização e propostas de gestão dos Espaços Verdes urbanos.

Mas a Carta Verde pretende ir mais longe, procurando no território todas as oportunidades de recuperação ou criação de novos espaços verdes e corredores ecológicos, recorrendo a terrenos cedidos ao município no âmbito de operações urbanísticas, terrenos sobrantes de vias estruturantes e outras possibilidades.