Torres Vedras

Iniciativas e projetos

Conteúdos desta página:

  1. Eco-Escolas
  2. Bandeira Azul
  3. Peixes Nativos
  4. Coastwatch
  5. Projeto Rios
  6. Escola Azul
  7. Conhecer para Preservar | Ouriço-do-Mar

Eco-Escolas

Fotografia de um grupo de crianças com a bandeira do projeto

O "Eco-Escolas" é um programa internacional, dinamizado em Portugal pela Associação Bandeira Azul da Europa, que pretende encorajar ações e reconhecer o trabalho de qualidade desenvolvido pelas escolas, no âmbito da Educação Ambiental para a Sustentabilidade.

Destinado preferencialmente às escolas do ensino básico, embora possa ser implementado em qualquer grau de ensino, o programa pretende:

  • Encorajar, reconhecer e premiar o trabalho desenvolvido pelas escolas na melhoria do seu desempenho ambiental;
  • Estimular o hábito de participação envolvendo ativamente as crianças e os jovens na tomada de decisões e implementação das ações;
  • Motivar para a necessidade de mudança de atitudes e adoção de comportamentos sustentáveis no quotidiano, ao nível pessoal, familiar e comunitário;
  • Divulgar boas práticas e fortalecer o trabalho em rede a nível nacional e internacional;
  • Contribuir para a criação de parcerias e sinergias locais na perspetiva de implementação da Agenda 21 Local.

Uma escola que pretenda ser reconhecida com a Bandeira Verde Eco-Escolas deverá apresentar a sua candidatura na qual deverá demonstrar que seguiu a metodologia proposta, cumprindo os objetivos propostos.

As escolas do concelho de Torres Vedras inscritas no programa "Eco-Escolas" contam com o apoio do Município de Torres Vedras para o desenvolvimento e concretização dos planos de ação.


Bandeira Azul

Logotipo da Bandeira Azul.

O programa "Bandeira Azul" é uma iniciativa dinamizada pela Associação Bandeira Azul da Europa que tem como objetivo promover a educação para o desenvolvimento sustentável.

Este programa distingue anualmente, com a Bandeira Azul, as praias, portos de recreio, marinas e embarcações de recreio e ecoturísticas que cumpram um conjunto de critérios relacionados com a Educação Ambiental, a qualidade da água balnear, a gestão ambiental, a segurança e serviços, a responsabilidade social e o envolvimento comunitário.

O Município de Torres Vedras participa no programa "Bandeira Azul" desde 1989, ano em que a Praia Centro, em Santa Cruz, recebeu pela primeira vez o galardão. Atualmente são várias as praias do Concelho que anualmente são distinguidas com este símbolo de qualidade ambiental.


Peixes Nativos

Logótipo do projeto

O projeto “Peixes Nativos” foi lançado em novembro de 2017 e resulta de uma parceria entre o ISPA - Instituto Universitário e a Águas do Tejo Atlântico, S.A.

O principal objetivo deste projeto é monitorizar anualmente, na época de seca estival, espécies ameaçadas de peixes de água doce autóctones em rios intermitentes do centro do país. Este projeto tem o apoio institucional do MARE - Centro de Ciências do Mar e Ambiente, do ICNF - Instituto para a Conservação da Natureza e Florestas, do Aquário Vasco da Gama e do Pavilhão da Ciência - Ciência Viva, e será implementado em municípios aderentes que designarão as escolas participantes na vertente pedagógica do projeto.

O Município de Torres Vedras associou-se a este projeto desde o início, sendo o município pioneiro neste projeto de monitorização científica das espécies de peixes nativos de água doce que se encontram ameaçadas. Além da monitorização das espécies, este projeto visa ainda a sensibilização e educação ambiental da comunidade escolar.

Os principais objetivos deste projeto no concelho de Torres Vedras são:

  • Dar a conhecer ictiofauna das linhas de água do Concelho;
  • Monitorizar as espécies ameaçadas;
  • Dar a conhecer algumas das ameaças às linhas de água doce;
  • Sensibilizar para a importância da conservação dos habitats ribeirinhos.

Desde 2018 foi possível realizar 43 ações no âmbito do projeto, nomeadamente formações, ações de sensibilização, sessões realizadas em escolas, sessões práticas, workshops, entre outros.


Coastwatch

Projeto de educação ambiental e ciência cidadã que consiste na caracterização ambiental do litoral, na época pós-balnear, monitorizando a biodiversidade, os riscos, os impactos, as ameaças e os resíduos existentes numa faixa litoral. Em Portugal, o projeto "Coastwatch" é coordenado pelo GEOTA - Grupo de Estudos de Ordenamento do Território e Ambiente desde 1990.

Através da realização de percursos a pé em troços localizados na costa portuguesa, entre os meses de setembro e abril, os cidadãos são convidados a participar na monitorização do local pretendido. Os participantes observam e registam várias informações num questionário próprio do "Coastwatch" em formato de papel ou através da aplicação para telemóvel.

As atividades que integram o projeto têm como objetivos:

  • Monitorizar uma faixa de litoral;
  • Registar a biodiversidade existente;
  • Registar os riscos, impactos, ameaças e resíduos existentes no litoral;
  • Sensibilizar para a importância da conservação do litoral.

Projeto Rios

Logótipo do

O "Projeto Rios" visa promover a participação social na conservação dos espaços fluviais, procurando acompanhar os objetivos apresentados na Década das Nações Unidas da Educação para o Desenvolvimento Sustentável e contribuir para a implementação da Carta da Terra e da Diretiva Quadro da Água.

Lançado na Catalunha em 1997, este projeto começou a ser promovido em Portugal em 2006 pela Associação Portuguesa de Educação Ambiental, a Associação de Professores de Geografia, a Liga para a Proteção da Natureza e a Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto.

O "Projeto Rios" tem como principal objetivo implementar um plano de adoção e monitorização de 500 metros de um troço de um rio ou ribeira, de modo a promover a sensibilização da sociedade civil para os problemas e a necessidade de proteção e valorização dos sistemas ribeirinhos.

Com a aplicação prática deste projeto é possível aprender a valorizar a importância das linhas de água, implementar uma rede local e nacional através da observação, monitorização ou vigilância, visando a conservação e adoção de diferentes troços de rios.

O público-alvo é o mais alargado possível: escolas (todos os níveis de ensino), empresas, grupos de escuteiros, associações/grupos culturais, lares/centros de dia, grupos de amigos, famílias e população em geral.

Os grupos do concelho de Torres Vedras inscritos no "Projeto Rios" contam com o apoio logístico, técnico, científico e material prestado pelo Município de Torres Vedras e pela Águas do Tejo Atlântico, S.A., do Grupo Águas de Portugal.


Escola Azul

O programa educativo "Escola Azul", desenvolvido pela Direção-Geral de Política do Mar sob a alçada do Ministério do Mar, é dirigido à comunidade escolar e tem como principal objetivo a promoção da Literacia do Oceano. Pretende-se tornar a comunidade escolar mais participativa, compreendendo a influência do Oceano na Humanidade e vice-versa, numa abordagem interdisciplinar.

Com este programa pretende-se distinguir e apoiar as escolas que trabalham com o tema do mar, criando uma rede de intervenientes ligados ao sector do mar, como indústrias, Municípios, ONGs, Universidades, entre outros.

Alguns pontos que definem a escola azul:

  • Explora a problemática do Oceano;
  • Estimula os alunos a agir, intervir e decidir;
  • Cruza diferentes áreas do saber;
  • Envolve a comunidade local;
  • Integra alunos de diferentes idades;
  • Interage com a rede de parceiros;
  • Selecciona embaixadores do Oceano;
  • Comunica as suas ações.

Desde 2020, o Município de Torres Vedras conta com o Externato de Penafirme como a primeira Escola Azul do Concelho.


Conhecer para Preservar | Ouriço-do-Mar

Logótipo do projeto

O projecto "Conhecer para Preservar | Ouriço-do-Mar" decorre de uma candidatura do Município de Torres Vedras, no âmbito do Small Grants Scheme #3 – Apoio às iniciativas para a Educação – Literacia do Oceano. Este projecto conta com a parceria do Externato de Penafirme, escola não agrupada, que integra o programa educativo “Escola Azul”, do Ministério do Mar.

O projeto integra o “Programa Crescimento Azul” da EEA Grants, que pretende contribuir para o objetivo global de reduzir as disparidades económicas e sociais e reforçar a relação bilateral através do financiamento de projetos em três áreas: Desenvolvimento de negócios, inovação e PME; Investigação; e Educação, bolsas de estudo, literacia e empreendedorismo jovem. O objetivo do projeto é aumentar os níveis de Literacia do Oceano nas escolas e na sociedade em geral, concorrendo para o reforço do Programa de Educação, Formação e Cooperação nas áreas marinhas e marítima.

A estratégia de intervenção da operação estrutura-se em três eixos articulados entre si (educar, formar e comunicar), onde se incluem 13 atividades que dão forma ao plano de ação. As iniciativas que constituem o plano de ação visam uma intervenção integrada de informação, formação e sensibilização junto da comunidade educativa do Município de Torres Vedras, em particular dos estudantes e professores do Externato de Penafirme.

Esta estratégia tem como objeto de estudo o Paracentrotus lividus (ouriço-do-mar), como espécie de extrema importância no equilíbrio dos ecossistemas e como foco para compreender e comunicar o papel multidisciplinar do Oceano com base nos princípios da Literacia do Oceano, nomeadamente os seguintes:

  • Princípio 1: A Terra tem um Oceano global e muito diverso;
  • Princípio 5: O Oceano suporta uma imensa diversidade de vida e de ecossistemas;
  • Princípio 6: O Oceano e a humanidade estão fortemente interligados;
  • Princípio 7:  Há muito por descobrir e explorar no Oceano.

O projeto pretende ainda contribuir para alcançar os Objectivos para o Desenvolvimento Sustentável, estando as acividades propostas alinhadas com os objectivos:

   

Números

Código do projeto: PT-INNOVATION-0038

Data de aprovação: 18-01-2021

Data de início: 18-01-2021

Data de conclusão: 31-12-2022

Investimento total: 36.839 €

Investimento elegível comparticipado: 33.063 €

Financiamento EEA Grants: 25.000 € 


voltar ao topo ↑