Torres Vedras

Agenda

A Sonata Barroca em Diálogo com a Ária sacra

Até 18 de maio | 21h30

Música I Festival de Música Antiga de Torres Vedras

Evento já ocorrido

Local: Igreja/Seminário de Nossa Senhora da Graça de Penafirme, Póvoa de Penafirme

No dia 18 de maio, às 21h30, realiza-se o concerto "A Sonata Barroca em Diálogo com Ária Sacra", na Igreja/Seminário de Nossa Senhora da Graça de Penafirme, Póvoa de Penafirme.

A Trio Sonata constituiu um dos mais importantes géneros musicais de música de câmara durante o período Barroco (c. 1600-c. 1750). Era escrita em três partes melódicas, as duas superiores tocadas por dois instrumentos agudos (violino, flauta, oboé, etc.) e outra tocada por um instrumento grave (violoncelo ou fagote). A trio sonata era na verdade tocada por quatro instrumentos, pois o cravo (ou órgão) sustentava as harmonias que resultavam das várias partes instrumentais e frequentemente indicadas pelo autor através de cifras.

As trio sonatas escolhidas para este concerto procuram evidenciar a arte, beleza e elegância que podemos encontrar neste tão amplamente destacado género musical, em obras influenciadas pela música francesa, italiana e alemã.

Dialogando com a grande figura de J.S.Bach (1685 - 1750), ouviremos deste compositor algumas das mais belas canções sacras para voz e baixo contínuo, assim como uma cantata, género vocal ligado à oratória, intitulada "Weichet nur, betrübte schatten" (bwv 202), que nos mostra a ornamentação e escrita barroca para a voz e seus afetos. A temática desta cantata é a celebração do casamento.



Ars Eloquentia
Agrupamento fundado em 2015 com o objetivo de dar destaque à música barroca composta para duas flautas e baixo contínuo, através de uma interpretação baseada em dados históricos, e com recurso a cópias de instrumentos dessa época.

A constituição instrumental deste ensemble não é estanque, recorrendo por vezes à colaboração de outros músicos para obras que requerem maior diversidade instrumental ou a inclusão de vozes.

Participou em prestigiados festivais nacionais, sendo de destacar o Festival de Música do Palácio de Mafra, Festival de Música de Sintra, Temporada de Música de Oeiras e Ciclo de Órgão de Torres Vedras.

Constituído por músicos profissionais com sólida formação no campo da música antiga, o Ars Eloquentia apresenta neste concerto, Sofia Cosme e José Rui Fernandes (Flauta travessa barroca), Vânia Moreira (Violoncelo) e Daniel Oliveira (Cravo).


Susana Duarte, Soprano
Iniciou os seus estudos musicais na Escola de Música “Luís António Maldonado Rodrigues” na classe de Elsa Cortez. Licenciou-se em canto na Escola Superior de Música de Lisboa, onde trabalhou com Elsa Saque e também com Nuno Vieira de Almeida, Olga Prats e Stephen Bull, e em Ciências Musicais na Universidade Nova de Lisboa. É mestre em Artes Musicais (Tese de Lied e oratória).

Participou em diversas masterclasses, com Max Van Egmond, Helmut Lips, Hilde Zadek, Ralph Döring, Mara Zampieri, Walter Moore, João Lourenço, Claire Vangelisti, e ateliers de ópera com Carleen Graham. Interpretou vários papéis em óperas de G.Menotti, Kurt Weil, Mozart e Purcell.

Tem realizado recitais com os pianistas Francisco Sassetti, Ana Jacobetty, Helder Marques e Nuno Vieira de Almeida. Tem realizado trabalhos como solista com grupos como Capela Lusitana, Concerto campestre, Grupo Vocal Olissipo e Orquestra Cascais e Oeiras.

É membro do Coro Gulbenkian e foi 3ª premiada no concurso nacional de canto Luisa Todi em 2005. É diretora pedagógica e professora de Canto e classe de conjunto, na Escola de Música Luís António Maldonado Rodrigues.

Grupo: Ars Eloquentia & Susana Duarte, soprano


Atividade Gratuita


O I Festival de Música Antiga de Torres Vedras realiza-se, de 4 de maio a 8 de junho, nas igrejas e espaços históricos do concelho de Torres Vedras.

Olhando a riqueza patrimonial existente na região oeste, Torres Vedras apresenta-nos neste quadro histórico, um conjunto de obras arquitetónicas impregnadas de beleza e espanto.

O I Festival de Música Antiga de Torres Vedras aparece também como uma resposta de revitalização e valorização de todo esse património histórico existente nos vários locais do concelho de Torres Vedras, aliando a música da época praticada de forma historicamente informada, à beleza da arquitetura e acústica desses mesmos espaços.

Temos também neste Festival, a oportunidade de divulgar um repertório bastante diverso, sacro e profano, adaptado ao espaço, dando a conhecer ao grande público compositores e obras fascinantes da cultura europeia desde a idade média até ao pré-classicismo.

Apresentando concertos de elevada qualidade que tipicamente ouvimos nas grandes salas de concertos, este festival tem a particularidade de apresentar músicos de renome, bem como repertório de compositores como Bach, Vivaldi, Mozart entre outros, em igrejas e espaços das várias aldeias do concelho. Tornando assim a música antiga acessível a todos e para todos, este é um autêntico evento com “música fora do lugar”, fazendo destas localidades autênticos cenários de recriação histórica.

Relevando a formação e educação pela arte, todos estes concertos serão comentados e contextualizados, apresentando também instrumentos e práticas típicas das várias épocas da histórica da música.

Que este Festival seja marcante para as comunidades, numa autêntica “Festa da Música”, unindo património, educação, pessoas e locais, numa elevação dos mais nobres valores humanos.

Os concertos terão a duração de 45/50 minutos. No início do concerto haverá uma breve contextualização histórica do espaço.


Direção Artística: Daniel Oliveira 
Parceiros institucionais: Paróquias e juntas de freguesia envolventes; Escola de Música Luís Maldonado Rodrigues

voltar ao topo ↑