Torres Vedras

Música antiga aliou-se ao património numa iniciativa de sucesso

14.06.2019

A música reavivou as pedras seculares de igrejas do Concelho com a primeira edição do Festival de Música Antiga de Torres Vedras.

Apresentando concertos de elevada qualidade, este festival teve a particularidade de apresentar músicos de renome bem como um repertório bastante diverso, sacro e profano, adaptado aos respetivos espaços, dando a conhecer compositores e obras fascinantes da cultura europeia desde a Idade Média até ao Pré-Classicismo.

Foi na Igreja de Santa Susana, no Maxial, que teve início, no dia 4 de maio, este festival, numa Viagem com alaúde e flauta travessa, proporcionada pela Camerata Galante; o mesmo prosseguiu com Modinhas Luso-Brasileiras, interpretadas pelo grupo Cantos de Sabiá, no Salão Nobre do Palácio de Runa; com A Sonata Barroca em Diálogo com a Ária sacra, interpretada pelo grupo Ars Eloquentia e pela soprano Susana Duarte, na Igreja de Nossa Senhora da Graça, em Penafirme; com Música e pedagogia em torno do novo antigo, apresentada por professores e alunos da Escola de Música Luís António Maldonado Rodrigues, na Igreja de Santa Maria Madalena, no Turcifal; e terminou este sábado, dia 8 de junho, com um Ateliê/workshop de instrumentos antigos na sacristia da Igreja da Graça, em Torres Vedras, pela manhã, orientado por Marcos Lázaro (violino), José Rui Fernandes (flauta barroca) e Daniel Oliveira (cravo), a que se seguiu, à noite, o concerto A sonata da Chiesa barroca e clássica, também nesta igreja, interpretado por Zófia Pajak (violino), Marcos Lázaro (violino), Vânia Moreira (violoncelo) e Daniel Oliveira (órgão/cravo).

De referir que estes concertos tiveram também uma componente pedagógica, pelo que foram comentados e contextualizados.

Este festival constituiu-se, de resto, como um autêntico diálogo entre pessoas e gentes do Concelho, numa perspetiva de descentralização cultural, valorizando e dando a conhecer através da música, o belíssimo património histórico do mesmo, tendo-se possibilitado que música de qualidade bem como os seus intérpretes se apresentassem em contextos mais rurais.

Cerca de 700 pessoas assistiram aos concertos deste festival, oriundas não apenas do Concelho, mas também de concelhos vizinhos, da região de Lisboa e até estrangeiros. O evento foi organizado pela Câmara Municipal em parceria com as paróquias e juntas de freguesia das localidades onde os mesmos se realizaram, a Escola de Música Luís António Maldonado Rodrigues, o Centro de Apoio Social de Runa e o Seminário de Nossa Senhora da Graça de Penafirme. A direção artística do festival esteve a cargo de Daniel Oliveira.


voltar ao topo ↑