Torres Vedras

Festival Acordeões do Mundo 2021

Festival Acordeões do Mundo 2021

“A ciência desenha a onda; a poesia enche-a de água.” Teixeira de Pascoaes

Convocamos de novo, em 2021, o acordeão para celebrar as identidades da nossa região, da nossa Cidade e as suas origens. O som característico deste instrumento tem conotações profundas no nosso gosto e sentir. Há no seu som - nas suas múltiplas diversidades - uma ligação profunda à nossa humanidade e às suas expressões. A sonoridade do acordeão, nas suas múltiplas variações, evoca-nos sem grande esforço sentimentos de tempos imemoriais, de festa, de paisagens marítimas, de ventos e batidas de corações e de ritos ligados à agricultura. É a riqueza e característica do seu som que nos transporta para paisagens distantes e mundos interiores que aqui na nossa Cidade celebramos anualmente.

Este é, por isso, um momento único que nos liga o presente ao passado e abre janelas sobre os sonhos e o futuro. Este é um momento em que nos escutamos e observamos através do trabalho e da arte de muitos artistas. Voltamos, este ano, a convocar vários artistas portugueses com trabalhos ligados à nossa região e à experimentação própria deste versátil instrumento. E claro, convidámos artistas internacionais que nos trazem diversas formas de sentir e de se expressar que nos ajudam a definir a época e o momento em que vivemos.

A força da música e das artes é convocar sentimentos de partilha e de fraterna aproximação uns aos outros.  Assim nos apercebemos que estar em conjunto tem um significado especial. Partilhar a diversidade, criar momentos de diferença e abertura ao outro e aprender a gostar criticamente do que somos é um dos objetivos da nossa programação e do festival Acordeões do Mundo, em particular.

O gosto e a especialização no som do acordeão despertam em nós os tempos passados que nos ligam à terra, aos ritmos da paisagem que nos rodeia, do mar, das viagens e das festas populares. Este festival acrescenta qualidades ao que sentimos, abordando as nossas relações com o património imaterial de forma diversa e abrindo possibilidades de refletirmos acerca de uma Arte de Ser Português como nos provoca o poeta Teixeira de Pascoaes. Diríamos que, nos dias de hoje e num mundo tão globalmente aberto, procurar uma “arte do ser” é desígnio que a todos nos assalta. Saber observar-nos, saber escutar-nos é um exercício necessário para os nossos dias. E como o tempo está sempre a correr e a escapar-se, como se pode fazê-lo? Escutando música e abrindo-nos à sua poesia é uma bela e vasta possibilidade.

Porque podemos sonhar e acreditar que em face da imensa diversidade que nos apresenta o mundo, essa Torre de Babel de muitas linguagens e sentires de que hoje todos somos feitos, esse é um mito que por paradoxo nos transporta para uma outra verdade: que no começo de tudo havia uma única linguagem. Essa origem comum, essa família de onde todos procedemos está hoje mais enriquecida e é mais vasta. Os acordeões são o instrumento que nos recorda essa história antiga e faz a ponte para as multiplicidades que hoje enfrentamos. Aproveitemos a festa e o festival Acordeões do Mundo 2021 para regressar às salas de espetáculos e que as artes nos aproximem “humanissimamente”. João Garcia Miguel

Concertos no Teatro-Cine de Torres Vedras

Preços
1 concerto - 5 €

Cartão Jovem: 50% desconto
Cartão Sénior: 50% desconto

 

Locais de venda

  • Bilheteira Online
  • Posto de Turismo de Torres Vedras
  • Posto de Turismo de Santa Cruz
  • Museu Municipal Leonel Trindade
  • Centro de Artes e Criatividade de Torres Vedras
  • FNAC
  • CTT
  • Worten

 

Em dias de espetáculo, a partir das 18h00, no Teatro-Cine de Torres Vedras
Classificação etária: M/6

Próximas datas:

voltar ao topo ↑