Torres Vedras

Saúde e Alimentação

Conteúdos desta página

  1. Alimentação Saudável
  2. Roda dos Alimentos
  3. Erros alimentares mais frequentes
  4. Alimento do mês

Alimentação Saudável

Na idade escolar, a alimentação saudável é um dos fatores determinantes para o normal e concordante crescimento e desenvolvimento, facilitando a promoção de saúde e prevenindo por outro lado doenças associadas a uma alimentação incorreta, sendo a obesidade a mais conhecida e difundida.

Portugal é um dos cinco países com mais adolescentes obesos, segundo o relatório da Organização Mundial de Saúde (OMS, 2017).

O consumo de vegetais e de fruta é insuficiente, daí a importância da aquisição de hábitos alimentares saudáveis durante a infância, os quais determinam os comportamentos alimentares na adolescência e idade adulta.

Um padrão alimentar saudável deve ser equilibrado, completo, variado e também agradável ao gosto, ao paladar e à vista das nossas crianças.

“Somos aquilo que comemos”, frase proferida por Hipócrates (o pai da Medicina), há mais de 2500 anos e tão atual. Os Pais, Famílias, Educadores, Professores e Município desempenham um papel muito importante na aprendizagem do “saber comer”.

As crianças só aprendem os hábitos alimentares através da observação dos adultos, vivenciado a escolha, a preparação e confeção dos alimentos e, neste contexto o Município através do fornecimento das refeições escolar complementa o papel dos pais na educação alimentar dos seus filhos.

A escola é hoje o local onde muitas crianças recebem grande parte da alimentação diária, pelo que a educação alimentar tem que ser constante e, é com base neste princípio, que são elaborados os planos de ementas escolares. A alternância de pratos de peixe e de carne, a presença diária de produtos hortícolas e consumo de fruta são uma obrigatoriedade e, com a entrada em vigor da Lei 11/2017 de 17 de abril, também é obrigatoriedade a elaboração de um plano de ementas com pratos vegetarianos para os alunos cujo Encarregado de Educação optou por essa escolha alimentar.

O acompanhamento facultado pelos apoios adultos é de incentivo e de ajuda aos alunos que apresentam maiores dificuldades ou renitência para alguns alimentos menos apreciados, como a sopa, o peixe, as leguminosas e salada sendo portanto, uma prioridade.

Crianças bem alimentadas são crianças mais saudáveis, mais preparadas para a vida e certamente mais felizes!


Roda dos Alimentos

A Roda dos Alimentos, é um instrumento de educação alimentar, destinado a toda a população, que ajuda a escolher e a combinar os alimentos que devem fazer parte da alimentação diária.

Utilizada desde 1977, como parte da campanha de Educação Alimentar " Saber comer é saber viver", sofreu recentemente uma reestruturação, motivada por conhecimentos científicos e pelas alterações nos hábitos alimentares portugueses.

A nova Roda dos Alimentos é composta por 7 grupos, com funções características nutricionais específicas, pelo que todos eles devem estar presentes na alimentação diária, não devendo ser substituídos entre si.

  • Cereais e tubérculos - 28%;
  • Hortícolas - 23%;
  • Fruta - 20%;
  • Lacticínios - 18%;
  • Carnes, pescado e ovos - 5%;
  • Leguminosas - 4%;
  • Gorduras e óleos - 2%;

A água, não possuindo um grupo próprio, está também representada em todos eles, pois faz parte da constituição de quase todos os alimentos. Sendo a água imprescindível à vida, é fundamental que se beba diariamente em abundância. As necessidades de água podem variar entre 1,5 e 3 litros por dia.


Erros alimentares mais frequentes

  • Elevado consumo de sal

O elevado consumo de sal é responsável pela elevada prevalência de doenças como a hipertensão arterial.

 

  • Elevado consumo de bebidas alcoólicas

Problemas psicossociais e afetivos, cirrose hepática e diversos acidentes de viação e de trabalho têm no elevado consumo de álcool o seu grande responsável.

 

  • Elevado consumo de gorduras saturadas 

A obesidade, as doenças cardiovasculares, entre outras estão associadas ao elevado consumo de gorduras saturadas na nossa alimentação.

 

  • Elevado consumo de açúcar e alimentos açucarados

Quando consumidos em excesso, podem contribuir para o desenvolvimento de doenças como a obesidade e a cárie dentária.

 

  • Reduzido consumo de alimentos ricos em fibras

As Hortaliças, legumes e frutos são excelentes fornecedores de fibras alimentares, vitaminas e minerais. De acordo com a Organização Mundial de Saúde o seu reduzido consumo está relacionado com o aumento da prevalência de doenças como a obstipação e alguns tipos de cancros.

 

  • Saltar refeições e não tomar o pequeno-almoço 

Começar o dia sem tomar o pequeno-almoço é um erro alimentar muito frequente. As suas consequências são hipoglicemias matinais, falta de atenção, diminuição do rendimento intelectual na escola e no trabalho, entre outras. Saltar refeições intercalares, como as merendas da manhã e da tarde contribui para a perda da massa muscular e alterações do apetite.


Alimento do mês

O iogurte pertence ao grupo dos lacticínios na Roda dos Alimentos.

É um produto coagulado, obtido da fermentação láctica, devido à ação exclusiva de Lactobacillus bulgaricus e Streptococcus termophilus sobre o leite e outros produtos lácteos, devendo a população microbiana específica estar viva e abundante no produto final.

O iogurte classifica-se em função da sua composição, do tipo e do teor de matéria gorda.

Quanto à sua composição, o iogurte pode se natural ou açucarado, este último, pode apresentar uma grande variedade de aromas e conter ainda pedaços de fruta ou cereais. Algumas variedades apresentam uma embalagem bicompartimentada a qual um dos compartimentos contém iogurte batido aromatizado ou natural e o outro compartimento apresenta cereais, compota ou pepitas de chocolate.

Quanto ao tipo, o iogurte pode ser sólido (coagulado nas embalagens individuais de venda a retalho), batido (previamente coagulado e embalado posteriormente), ou líquido (liquefeito depois de coagulado e embalado posteriormente).

Quanto à matéria gorda, o iogurte pode ser gordo (teor mínimo de matéria gorda na parte láctea de 3,5%), meio gordo (teor mínimo de matéria gorda na parte láctea de 1,5% e máximo de 1,8%) e magro (teor máximo de matéria gorda de 0,3%).

 

Valor nutricional:

Pelo facto do iogurte corresponder a um derivado do leite, o seu valor nutricional relaciona-se com a composição do leite que lhe deu origem e com os ingredientes adicionados.

O iogurte fornece proteínas de alto valor biológico, vitaminas do complexo B, cálcio, fósforo e potássio.

Devido aos ingredientes adicionados, o iogurte, torna-se mais rico nutricionalmente, particularmente em teores de frutose e fibra quando lhe é adicionado pedaços de fruta e cereais respetivamente.

 

Tabela de composição nutricional (por 100g de porção edível):

 

Iogurte natural sólido meio gordo

Iogurte aromatizado açucarado sólido magro

Iogurte aromatizado açucarado líquido meio gordo

Energia (Kcal)

54

68

70

Água (g)

87,9

82,0

83,3

Proteína (g),

4,2

5,0

3,0

Lípidos (g)

1,8

0,1

1,3

Hidratos de carbono (g)

5,0

11,8

11,5

Cálcio (mg)

118

152

105

Fósforo (mg)

108

123

78

Potássio (mg)

183

208

98

 

Mg =miligramas.µg= microgramas. Porção edível = diz respeito ao peso alimento que é consumido depois de rejeitados todos os desperdícios.

Fonte: Porto A Oliveira L. Tabela de composição de alimentos Lisboa: Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge. 2006.

 

Vantagens e desvantagens:

O iogurte pode ser considerado um fornecedor proteico. As proteínas que contem são digeridas parcialmente durante o processo de fermentação, o que facilita a sua absorção pelo organismo.

As vitaminas presentes no leite auxiliam a proliferação das bactérias lácticas que, por sua vez, produzem outras vitaminas, aumentando assim a variedade de vitaminas presentes no iogurte.

O iogurte apresenta uma ampla variedade de minerais, destacando-se entre eles o cálcio. O cálcio lácteo apresenta elevada bio disponibilidade e é indispensável na formação de ossos e dentes.

As bactérias do iogurte exercem efeitos benéficos no organismo o que torna o iogurte um alimento probiótico (probióticos são microrganismos vivos que, quando consumidos em quantidades adequadas como parte integrante de alimentos, conferem m beneficio para a saúde do hospedeiro. Os principais efeitos benéficos de Lactobacillus bulgaricus e Streptococcus termophilus prendem-se com o a promoção do equilíbrio da população microbiana intestinal, inibindo as bactérias patogénicas e favorecendo as benéficas, que, consequentemente, constituem um meio de prevenção contra infeções gastrointestinais. Para além disso, estas bactérias facilitam a digestão de alguns nutrientes, nomeadamente as proteínas e o cálcio. Além disso, o ácido láctico formado é responsável por acidificar o iogurte, impedindo o desenvolvimento de bactérias patogénicas, e promover a assimilação do cálcio.

Além das vantagens nutricionais, o iogurte é uma excelente base para molhos, podendo substituir alimentos ricos em gordura.

 

Como comprar e conservar:

No momento da compra do iogurte, verifique a data limite de consumo para garantir que admite o produto fresco.

Após aquisição, conserve o iogurte no frigorífico na sua embalagem original, a uma temperatura entre os 0ºC e 6ºC para que as bactérias lácticas se mantenham inativas, prevenindo a deterioração do produto e alterações da acidez e conservando a estrutura, consistência e textura do produto.

 


voltar ao topo ↑