Torres Vedras

Erasmus +

O "Erasmus +" é o novo programa da União Europeia para a educação, formação, juventude e desporto, que entrou em vigor no dia 1 de janeiro de 2014. Este programa consolida sob um único quadro de apoio as áreas da educação, formação, juventude e desporto e outros programas internacionais, incluindo o "Jean Monnet" e o "Erasmus Mundus".

O programa "Erasmus +" é destinado a apoiar as atividades de educação, formação, juventude e desporto em todos os setores da aprendizagem ao longo da vida, incluindo o Ensino Superior, Formação Profissional, Educação de Adultos, Ensino Escolar, Atividades para jovens e formação no âmbito do Desporto amador.

O programa foi criado com base na iniciativa Erasmus, célebre pelas oportunidades que oferece aos estudantes universitários e ao pessoal docente do ensino superior, em termos de mobilidade para fins de aprendizagem, estágio ou formação.

O "Erasmus +" abrange agora cinco grandes áreas de educação e formação:

  • Oportunidades para a educação escolar para os funcionários e instituições;
  • Oportunidades para a educação e de formação profissional para estudantes, aprendizes, estagiários, funcionários, instituições e empresas;
  • Oportunidades para o ensino superior para alunos, funcionários, instituições e empresas;
  • Oportunidades para a educação de adultos para funcionários, instituições e empresas;
  • Oportunidades de integração europeia para o pessoal e as instituições académicas e de investigação.

Uma nova abordagem ao financiamento na educação e formação

A estrutura do programa "Erasmus +" faz a evolução do anterior programa Aprendizagem ao Longo da Vida, refletindo a necessidade de uma maior simplificação e racionalização, maior transparência e facilidade de acesso para as organizações e cidadão europeus.

O "Erasmus +" está estruturado em três ações-chave e as atividades Jean Monnet e desporto organizadas da forma seguinte:

  • Ação 1: Mobilidades Individuais para fins de aprendizagem
  • Ação 2: Cooperação para Inovação e Boas Práticas
  • Ação 3: Apoio à Reforma das Políticas
  • Atividades Jean Monnet 
  • Desporto

Organizações de todo os setores de educação, formação, juventude e desporto poderão candidatar-se a financiamento ao abrigo das ações 1, 2 e 3. As atividades Jean Monnet e na área do Desporto são ações separadas, com um foco muito específico de financiamento.

Candidaturas

À exceção de qualquer instituição comunitária (Agências Nacionais, Comissão Europeia, Parlamento Europeu, Conselho da Europa), qualquer outra organização é elegível no programa "Erasmus +", salvaguardando as especificidades de cada ação.

O que precisa de saber: 

  • O financiamento é baseado principalmente em custos unitários e montantes fixos, com regras simplificadas para bolsas menores. 
  • As candidaturas são acessíveis a organizações, pelo que não será possível fazer candidaturas individuais a bolsas. Quer isto dizer que os cidadãos com interesse em terem uma experiência de formação internacional patrocinada pelo Programa, terão que contactar as escolas e outras organizações de educação e formação para se candidatarem. Serão feitas exceções específicas para o setor da juventude para que os grupos informais de jovens possam candidatar-se. 
  • Todas as organizações terão de estar registadas no sistema de registo online da Comissão Europeia antes das candidaturas poderem ser iniciadas. Este é um novo passo no processo de candidatura e deverão por isso dar tempo suplementar para completar esta etapa ao fazer um pedido. As organizações já registadas não precisarão de repetir o registo, terão no entanto que garantir que os dados constantes do registo se encontram atualizados.

Todas as Instituições de Ensino Superior terão que ser detentoras de uma Carta Erasmus para o Ensino Superior (ECHE) válida para participar nas atividades do novo programa.


Moinhos – Formar para Inovar

O Município de Torres Vedras tem vindo a apostar, desde 2010, em projetos de mobilidade internacional, para fins de aprendizagem e formação profissional, em empresas europeias. 


Missão Educar – Professores em ação na Europa

O Consórcio “Missão Educar – Professores em ação na Europa” é composto pelos agentes educativos ligados ao ensino público do concelho de Torres Vedras com o intuito de, coletivamente, criar condições que permitam a melhoria da educação no Concelho: 

  1. Câmara Municipal de Torres Vedras (coordenadora);
  2. Agrupamento de Escolas Henriques Nogueira;
  3. Agrupamento de Escolas Madeira Torres;
  4. Agrupamento de Escolas Padre Vítor Melícias;
  5. Agrupamento de Escolas S. Gonçalo.

Esta rede educativa abrange 857 docentes, 398 funcionários não docentes e 9.799 alunos, servindo as 13 freguesias do concelho, ou seja, 405,89 km² e 79.465 habitantes. 

Um dos grandes desafios hoje enfrentado é o desinteresse dos alunos no seu sucesso escolar, o que pode significar a falta de aquisição de conteúdos básicos e transversais e, com isso, a fragilização do seu percurso pessoal e profissional. Outro desafio estruturante refere-se às necessidades e expectativas que alunos e encarregados de educação têm em relação à Escola – são em maior número e cada vez mais diversas, no que toca a os alunos com situações desfavoráveis, Necessidades Educativas Especiais e origens culturais diversas/estrangeiros. 

Os três grandes objetivos são:

  1. Formar os responsáveis pela Educação Escolar do concelho de Torres Vedras, nomeadamente docentes, responsáveis de projetos e técnicos municipais, para que sejam capazes de propor alterações nas políticas e práticas educativas do território e para que tenham condições para de as levar a cabo individual e coletivamente no seu quotidiano;
  2. Aprofundar a coordenação territorial em Torres Vedras dos diferentes projetos educativos levados a cabo por agrupamentos de escolas e Câmara Municipal de Torres Vedras, com vista à união de esforços e partilha de visões, mas também com vista à criação de sinergias a partir da complementaridade e partilha de recursos humanos e físicos;
  3. Introduzir uma dimensão transnacional nas práticas e estratégias educativas do concelho de Torres Vedras, abrindo espaços e redes de comunicação e intercâmbio e trazendo uma aproximação às abordagens, critérios de qualidade, estratégias e visões de outros países e da Europa.

Em concreto, propomo-nos a enviar 13 profissionais ligados à educação (12 docentes dos Agrupamento de Escolas e 1 um técnico da Câmara Municipal de Torres Vedras, mediante os critérios de seleção definidos para o efeito) em mobilidades de uma ou duas semanas para realizar dois tipos de programas de atividade (Job Shadowing ou Cursos/Formação) num dos seguintes temas: aprendizagem linguística, novas tecnologias ao serviço da educação ou desenvolvimento profissional transversal.

As necessidades que se procuram suprir com a realização não apenas das mobilidades, mas também das atividades de integração e partilha de aprendizagens e das atividades de disseminação e exploração de resultados situam-se ao nível de:

  1. Competências Linguísticas – desenvolver competências linguísticas e descobrir outras práticas pedagógicas para o ensino da língua;
  2. Novas Tecnologias – contactar com outras realidades, instrumentos, ferramentas e dinâmicas;
  3. Desenvolvimento Profissional – atualizar os métodos e ferramentas de ensino de forma individual e integrada nos agrupamentos;
  4. Metodologias – ter na sua rede de trabalho e de contactos uma maior diversidade de opções metodológicas;
  5. Trabalho em rede – alargar a rede de parceiros para melhorar a capacidade de reflexão e de trabalho em prol da educação;
  6. Dimensão europeia – incorporar na ação do município e agrupamentos uma visão crítica e alargada do seu papel, das estratégias disponíveis e dos padrões de exigência/qualidade.

 

O sucesso do projeto está garantido na medida em que poderemos ter impactos e resultados que nos irão permitir:

  • Confrontar as práticas atuais dos Agrupamento de Escolas com práticas novas e distintas;
  • Melhorar as nossas dinâmicas de intervenção em termos das novas tecnologias;
  • Perceber como outros municípios europeus agem como facilitadores das redes e projetos educativos locais e regionais;
  • Maior sensibilização de alunos e professores para a nossa dimensão europeia;
  • Liderar um conjunto de ações de formação dentro e fora dos Agrupamento de Escolas;
  • Estabelecer novos contactos, parcerias e intercâmbios com escolas de outros países;
  • Criar/desenvolver redes concelhias/internacionais para partilha de boas práticas e trabalho colaborativo;
  • Modificar o paradigma de ação na sala de aula, centrando-o na autonomia e criatividade dos alunos;
  • Desenvolver novas abordagens concelhias para o sucesso e integração dos alunos com Necessidades Educativas Especiais;
  • Aumentar o domínio de idiomas na equipa e a diversidade de idiomas e culturas com os quais existe contacto;
  • Adquirir competências no âmbito da gestão do processo educativo.

MLO – Moving and Learning Outside

Este projeto, que nasceu de uma candidatura ao programa "Erasmus+" da União Europeia, procura promover novas estratégias educativas onde o movimento e o usufruto do espaço exterior seja nuclear para o desenvolvimento global das crianças em idade pré-escolar.

voltar ao topo ↑