Torres Vedras

Regresso às aulas seguro - perguntas frequentes

1 – Quem deve usar máscara?

Todos os adultos que estejam dentro do perímetro escolar devem usar a respetiva máscara. Apenas os alunos a partir do 2º ciclo terão essa obrigação. Alguns agrupamentos do nosso concelho definiram também como regra o uso da máscara para os alunos do 1º ciclo, apenas quando circulem em espaços comuns das escolas.  Os agrupamentos fornecerão as máscaras aos alunos do 5º ano ao 12º ano, sendo as dos alunos do 1º ciclo fornecidas pela Câmara Municipal de Torres Vedras.

2 – Haverá medição de temperatura corporal à entrada das escolas?

Não, essa medição não é aconselhada pela Direção Geral da Saúde (DGS). Qualquer elemento da comunidade educativa, deve controlar a sua temperatura em casa, não se devendo dirigir à escola em caso de registo acima do normal.

3 – O que são os grupos “bolha”?

Para reduzir a probabilidade de contágio, as escolas organizarão as suas atividades de forma a tentar manter cada turma como um grupo “bolha”, ou seja, com o menor contacto possível com elementos de outras turmas. Naturalmente que estes contactos não são passíveis de serem evitados de todo, mas podem ser reduzidos.

4 – Os pais podem ir à escola dos filhos?

As escolas poderão adotar medidas específicas consoante o caso, mas aconselha-se que os contactos sejam via telefone e email sempre que possível. Nenhum adulto pode entrar na escola para deixar as suas crianças. Mesmo no pré-escolar, a criança deverá ser entregue ao cuidado da escola à porta do edifício.

5 – Existirão percursos de circulação obrigatórios ou aconselhados em cada escola?

De acordo com as orientações da DGS algumas escolas adotaram esta medida, outras, considerando as suas características específicas, optaram por não o fazer. Deverão ser os alunos a ter em atenção esta possibilidade.

6 – O que muda nas refeições escolares?

As escolas continuarão aptas a servir refeições a todos os alunos que delas precisarem, no entanto, excecionalmente este ano, aconselha-se que todos os que tiverem oportunidade de consumir a sua refeição em casa, optem por essa solução. Menos concentração de alunos no refeitório representa um risco menor de contágio para todos. Nenhuma escola do nosso concelho optou pela solução de refeições takeaway e as escolas a partir do 2º ciclo terão os talheres embalados em invólucros individuais. Os horários das refeições serão desencontrados entre as várias trumas de froma a reduzir a concentração de alunos no espaço do refeitório.

7 – Existirão visitas de estudo neste ano letivo?

Na generalidade dos casos não. Os quatro agrupamentos de escolas públicas do concelho entenderam não realizar visitas de estudo este ano letivo. Os transportes coletivos e a afluência a locais com outras turmas faria aumentar o risco de contágio. Os serviços educativos da Câmara Municipal deslocar-se-ão às escolas que o pretenderem para realizar as atividades planeadas.

8 – A oferta da natação para os 3º e 4º anos do 1º ciclo mantém-se?

Pela mesma razão das visitas de estudo, agravada com as questões da partilha de balneários e vestiários, excecionalmente este ano não haverá oferta da natação. Esta atividade será substituída pela deslocação de professores às instalações da escola para lecionarem uma aula de Educação Física no espaço escolar.

9 – Como funcionarão as aulas de Educação Física?

As aulas de Educação Física, essenciais para o bem-estar físico e psíquico das crianças e jovens, funcionarão maioritariamente na rua, deverão privilegiar exercícios individuais em espaços abertos e com distanciamento preferencial de 3 metros entre cada elemento e terão utilização condicionada de balneários e de materiais e equipamentos desportivos.

10 – Como funcionarão os recreios das escolas?

Este será um espaço privilegiado para o desenvolvimento de atividades com os mais novos, quanto mais tempo estiverem na rua, menor é a probabilidade de contágio. Embora tendo o cuidado de desfazer horários de intervalos e de manter o distanciamento recomendado entre os alunos, será com certeza um ano em que os mais novos passarão mais tempo na rua a desenvolver atividades pedagógicas.

11 – Após o horário escolar, os alunos podem ficar na escola?

Sim, desde que tenham absoluta necessidade disso. A inscrição nas componentes de prolongamento de horário do pré-escolar e do 1º ciclo – Serviço de Apoio à Família (SAF) e Componente de Apoio à Família (CAF) respetivamente – ficam condicionadas à apresentação do horário de trabalho dos progenitores.

12 – Como funcionarão os Transportes Escolares?

Com algumas adaptações relativamente a anos anteriores. Aconselha-se que as crianças e jovens apenas usem os transportes coletivos quando não houver outra alternativa. Devem-se privilegiar as deslocações a pé ou de bicicleta, caso não sejam opções a ter em conta, em viatura particular e só em caso de necessidade, recorrer a transportes coletivos. Em caso de uso dos transportes coletivos, os alunos de todas as idades devem usar máscara desde a entrada no veículo até à saída do mesmo.

13 – Devo desinfetar o material escolar diariamente?

A maior parte do material escolar deverá ficar na escola, aquele que o seu filho levar para casa, mais do que desinfetar diariamente, deve ter o cuidado de não ser partilhado com colegas. O material deve ser sempre para uso individual. Quanto ao papel, considera-se que o contágio via este material é residual, não sendo, portanto, um foco de contaminação que deva merecer preocupações especiais.

14 – Há condicionantes especiais para os espaços comerciais perto das escolas?

Sim, os restaurantes, cafés e pastelarias situadas a menos de 300 metros das escolas só poderão acolher grupos até 4 pessoas.

15 – O que fazer quando for detetado um aluno com sintomas associados à COVID-19?

O aluno será isolado, em espaço criado para o efeito e os encarregados de educação serão imediatamente contactados. As autoridades de saúde local definirão quais as medidas posteriores caso se confirme a infeção. Os alunos, ou as turmas, poderão ficar em quarentena preventiva, sendo que para tal serão criadas as condições para poderem prosseguir o processo de ensino/aprendizagem à distância.

16 – Em que situação é que as escolas serão encerradas?

Apenas em casos excecionais e após a análise e decisão da autoridade de saúde local, em articulação com as autoridades de saúde regional e nacional. 

17 – As regras acima referidas são uniformes para todas as escolas?

Algumas fazem parte de recomendações gerais, no entanto, podem sofrer adaptações consoante as condições de cada escola, logo, os alunos e os encarregados de educação devem sempre consultar e respeitar as indicações facultadas pela sua escola.

 

Elaborado com base nas Orientações do Ministério da Educação e Direção Geral da Saúde


voltar ao topo ↑