Torres Vedras

PR8 TVD - Rota dos Moinhos

PR8O percurso tem o seu início junto aos antigos armazéns da Macieira, à entrada do Maxial, terrenos do cretáceo inferior, percorrendo parte da “rua direita” até se desviar à direita, iniciando a subida para a serra, para os terrenos do Jurássico superior, onde se desenvolverá a maior parte deste percurso. 

Passamos aos Casais da Capela e sempre a subir, um pouco antes da Fonte de Barro (que outrora abastecia o Maxial e ainda hoje abastece alguns dos fontanários existentes), viramos à esquerda. Avistamos os primeiros moinhos, alguns convertidos para habitação, estamos em Vila Seca. A vista para poente é soberba, permitindo em dias limpos, avistar o mar. Novo desvio à esquerda e começamos a descer, até chegarmos a uma azenha recuperada para casa de habitação, com a sua levada perfeitamente conservadas pelo proprietário. Chegámos aos Casais de Santo António e pelo “Lameirão”, encetamos nova subida, que nos leva ao ponto em que quem pretenda optar pelo percurso mais curto (PR8.1), seguirá pela esquerda. Continuando, os moinhos continuam a acompanhar-nos e no alto da Folgarosa, o percurso coincide com um curto troço asfaltado. Um pouco à frente, novo ponto de opção; quem optar pelo percurso de distância média (PR8.2), seguirá pela esquerda.

 

Continuando numa zona de pouco declive, começam a surgir os aerogeradores e um pouco mais à frente, poderemos ver um espaço de criação de cavalos, estamos de novo a chegar a Vila Seca, onde um pequeno desvio, permitirá visitar a Capela de Santa Luzia. Continuando, passamos a uma antiga pedreira e chegamos à Ereira, “terra de padeiros”, onde poderemos ver um moinho ainda em funcionamento, para além de inúmeros em ruínas e outros adaptados a habitação. Em direcção aos Casais das Pedreiras e por um bocado deixamos os agregados habitacionais.

Vamos em direcção à Serra Alta, o ponto mais alto do percurso. Nesta parte os aerogeradores e os moinhos, vão-se alternando. Para nascente, a vista permite-nos vislumbrar terras de outras freguesias e concelhos. Passamos pela ruína de um curioso moinho com três níveis. Em breve iniciamos a descida pelo Carrascal (encontrando o PR8.2), deixando os moinhos para trás. Avistamos ao longe Montejunto.

Uma ligeira subida, leva-nos a contornar o cabeço da Marvela. Descemos para o “porto da Sestearia” e subindo, passamos pela Sestearia, para depois descermos os Covões (encontrando o PR8.1).O nosso caminho é paralelo ao cemitério, onde podemos ver a sua Capela, que foi em tempos a igreja do “Machial”, chamando-se então provávelmente Igreja de Santa Susana e Alcabrichel, com data de fundação, cerca de 1147, início do domínio cristão da Estremadura. Hoje vítima do terramoto de 1755, apenas resta a sua capela-mor. Estamos a terminar o percurso, tempo de passarmos pela Igreja matriz e pela junta de freguesia, para terminarmos de novo onde iniciámos; junto aos antigos armazéns da Macieira.

Ficha técnica

Nome do Percurso: Rota dos Moinhos

Localização: Distrito de Lisboa > Concelho de Torres Vedras > União de Freguesias de Maxial e Monte Redondo

Acessos: EN 115-2

Tipo de Percurso: Pequena Rota Circular

Altitude: Max: 363m | Min: 70m

Grau Dificuldade: Médio

Época Aconselhada: Todo o ano

Cartografia: Carta Militar de Portugal, na escala 1/25 000, série M 888, folhas n.º 374 e 388, do Instituto Geográfico do Exército.

 

Download do folheto (PDF)