Torres Vedras

Primeira década da "Temporada Darcos" terminou com "chave de ouro"

30.11.2017

A Temporada Darcos, que completou dez anos, chegou este ano ao fim com “chave de ouro”, com um concerto realizado pela Mahler Chamber Orquestra esta terça-feira, dia 28 de novembro, que encheu o Teatro-Cine.

Este concerto antecedeu, de resto, um outro deste agrupamento musical, no dia seguinte, no Centro Cultural de Belém.

De referir que a Mahler Chamber Orquestra é uma das melhores orquestras mundiais da atualidade, a qual é autogovernada e gerida pelos próprios músicos que a compõem, provenientes de inúmeras cidades da Europa, sendo que tem tocado nas mais importantes salas de concertos dos cinco continentes.

No Teatro-Cine proporcionou duas sinfonias célebres de Haydn e Mozart, as n.º 101 e n.º 40, respetivamente, a par do “Concerto Vedras”, da autoria de Nuno Côrte-Real, maestro e compositor torriense, que, recorde-se, dirige a Temporada Darcos, que nesta sua décima edição prosseguiu na senda da internacionalização.

De realçar também desta edição da Temporada Darcos, no Teatro-Cine, o concerto inaugural com a Orquestra da Extremadura; o concerto comemorativo da primeira década desta temporada, em que a cantora de jazz Maria João interpretou músicas originais concebidas por Nuno Côrte-Real e José Luís Peixoto; e a homenagem ao Cante num concerto que contou com a participação do Coro Ricercare.

Como já tinha vindo a acontecer nas últimas edições, a Temporada Darcos marcou presença não só em Torres Vedras, mas também em Lisboa, beneficiando das parcerias entre a Câmara Municipal, o Centro Cultural de Belém e a Direção-Geral das Artes/Ministério da Cultura.

Recorde-se que a Temporada Darcos constitui-se como uma iniciativa singular na qual se divulga a música clássica segundo diversas abordagens dadas por autores de referência, e em que um grupo musical – o Ensemble Darcos – está durante determinados períodos em residência artística no Teatro-Cine. Os espetáculos desta temporada são na sua maioria realizados no Teatro-Cine e interpretados por este grupo, mas também por aclamados solistas e orquestras nacionais e internacionais, tendo também já contado com a participação de proeminentes figuras do panorama musical nacional enquanto comentadores.