Torres Vedras

Obras de valorização do Castro do Zambujal estão a decorrer

20.06.2018

As obras de valorização do Castro do Zambujal têm estado a decorrer.

No âmbito desta intervenção estão neste momento a ser levados a cabo trabalhos de conservação e restauro de estruturas arqueológicas, de consolidação de pavimentos de acesso e de instalação de infraestruturas elétricas para alimentação de energia às instalações sanitárias a construir.

De referir que a intervenção de valorização do Castro do Zambujal consiste em três componentes: conservação e restauro (estabilizando o conjunto das estruturas arqueológicas a descoberto e promovendo a sua proteção e conservação); paisagismo (realização nomeadamente de arranjos na área para estacionamento, de caminhos e de vegetação, e instalação de mobiliário urbano, de vedações e de sanitários); e museografia digital (criação de um áudio guia numa experiência mobile, o que será complementado por painéis informativos e um folheto impresso).

Localizado a cerca de 3km a sudoeste de Torres Vedras, o Castro do Zambujal foi identificado pelo investigador torriense Leonel Trindade no ano de 1932, tendo sido alvo das primeiras escavações em 1944 e 1959. A partir da década de 60, a pesquisa deste sítio assumiu uma importância internacional com a implementação de um projeto dirigido entre 1964 e 1973 por E. Sangmeister (Universidade de Friburgo), H. Schubart (Instituto Arqueológico Alemão de Madrid) e L. Trindade, tendo, a partir de 1994, os trabalhos no local estado sob a direção de M. Kunst (Instituto Arqueológico Alemão de Madrid) e P. Uerpmann (da Universidade de Tübingen). A longa história das pesquisas arqueológicas aí efetuadas e a extensa documentação publicada a partir das mesmas converteram o Castro do Zambujal num dos mais emblemáticos sítios arqueológicos portugueses, assumindo um papel de relevo para o conhecimento das primeiras sociedades agro-metalúrgicas no Calcolítico da Península Ibérica, especialmente no que se refere às primeiras arquiteturas de fortificação e às práticas de metalurgia antiga.

São assim objetivos subjacentes ao projeto de valorização do Castro do Zambujal: promover a conservação e restauro de um dos monumentos mais importantes do Calcolítico peninsular; possibilitar a fruição pública deste sítio, enquanto destino turístico‐cultural; e estimular a atividade económica de Torres Vedras e da região envolvente ao mesmo.

O custo desta obra está estimado em cerca de 355 mil euros, sendo a mesma cofinanciada em 85% pelo Programa Operacional Regional do Centro, Portugal 2020 e União Europeia, por meio do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.

voltar ao topo ↑