Torres Vedras

Objetivo: colocar Santa Cruz no mapa

16.07.2017

A 11.ª edição do Santa Cruz Ocean Spirit contou ontem com a visita da secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho. Uma visita que não é uma estreia. “Não é a minha primeira vez, faço questão de vir cá todos os anos. Não só eu como a minha família. É um evento que está a ganhar cada vez mais dimensão, o que demonstra também que foi uma aposta certa e que consegue cada vez mais atrair novos públicos e novos mercados”, começou por dizer.

Com uma ligação próxima ao Turismo de Portugal, um dos objetivos é – garantiu – “internacionalizar o festival para que seja uma âncora de divulgação e de colocar Santa Cruz no mapa, muito associada ao mar e aos desportos náuticos”.

A responsável recordou ainda a notoriedade que Portugal ganhou nos últimos anos na área do surf. “Portugal é neste momento o destino europeu mais procurado no Google no que toca ao surf. Em termos internacionais é o 3.º destino mais procurado, depois do Hawai e Austrália. E por isso é importantíssimo termos em todo o país este tipo de eventos, ao longo do ano, que permitam criar novas formas de atração. O grande desafio é esse. E estamos a trabalhar em conjunto para isso”, acrescentou recordando a etapa de qualificação da World Surf League (WSL) que Santa Cruz acolheu este ano mais uma vez.

“Hoje em dia a dinâmica das nossas cidades depende da dinâmica dos autarcas. E da capacidade das equipas se mobilizarem cada vez mais para este tipo de eventos regulares. De conseguir identificar os públicos e produtos alvo para os seus territórios e de trabalhar muito articuladamente com o Turismo de Portugal, no sentido de fazermos a ponte entre a promoção nacional e a internacional para que isto também sejam formas de chegar a novos mercados”, disse ainda dando um exemplo muito concreto: “Este é um produto fantástico para chegar ao mercado americano que neste momento está a descobrir Portugal. Estamos com um crescimento neste mercado de cerca de 30%. E quando estive aqui na prova de qualificação estava cá um americano que nunca tinha vindo cá. Não fazia ideia que Santa Cruz existia. E já estava completamente encantado e a ver se não era um local bom para viver. Portanto, é preciso usar cada vez mais este eventos como forma de promover Portugal, as nossas cidades e regiões, como destinos bons para investir, para trabalhar, viver e visitar”, disse Ana Mendes Godinho. De recordar que, nesse sentido, de aproximação ao mercado americano, nesta edição do Santa Cruz Ocean Spirit realiza-se mais uma vez o Internacional de Skimboard, prova que este ano está inserida no United Skim Tour, competição que é composta por sete etapas e com paragens nos EUA, Brasil e Portugal, por exemplo.

A secretária de Estado do Turismo assinalou ainda a forte ligação  do evento com comércio local. “Sei que têm um espaço dedicado ao comércio de Torres Vedras. É essencial pormos a render o turismo ao serviço do que interessa para a população. É o efeito de arrastamento que este tipo de eventos têm no comércio local”, concluiu.