Torres Vedras

“Nova Porta” (5) abriu no centro histórico…

11.04.2017

O serviço educativo da Galeria Municipal tem um novo espaço para as suas atividades.

Trata-se do Porta 5, um espaço que foi criado a partir da remodelação do antigo edifício da PSP, onde aquele serviço tinha, de resto, iniciado a sua atividade, em 2003, após a sua criação, na sequência da instalação no Edifício dos Paços do Concelho da Galeria Municipal. 

As atividades do serviço educativo da Galeria Municipal foram posteriormente transferidas para a contígua Travessa Luís Cardoso e voltam agora ao seu local de origem que se encontra devidamente preparado para as mesmas.

O rés-do-chão deste edifício é constituído por um espaço de atividades dirigido ao público escolar (do ensino pré-escolar ao secundário), podendo, ocasionalmente, ser utilizado como área de exposição.

O primeiro piso funciona como espaço polivalente, destinado a acolher formações de cariz mais teórico dirigidas ao público em geral.

O segundo piso constitui-se como um espaço de ateliê, onde funcionam todas as atividades regulares daquele serviço educativo que já existem como a Oficina da Lua Cheia e a oficina livre de pintura para adultos, bem como workshops e oficinas de tecnologias de artes dirigidas ao público em geral (como cursos de serigrafia, fotografia artesanal e modelagem), sendo que a partir deste piso acede-se a um pequeno terraço.

A construção deste novo espaço pedagógico insere-se na continuação da política municipal de educação e sensibilização da população para a arte.

Segundo revelou a coordenadora do serviço educativo da Galeria Municipal, Patrícia Sobreiro, na cerimónia de inauguração do Porta 5, este novo espaço vai proporcionar melhores condições para os públicos que já usufruíam do mesmo (desde o escolar a estudantes de arte e artistas, passando por crianças, grupos familiares e seniores).

Já o presidente da Freguesia de Santa Maria, S. Pedro e Matacães enquadrou a requalificação do antigo edifício da PSP no esforço de regeneração urbana do centro histórico de Torres Vedras, ao qual, segundo Francisco Martins, a Câmara Municipal deve dar continuidade.

Tal foi confirmado pelo presidente da Câmara Municipal que recordou que até 2030 pretende aumentar em 20% o número de habitantes no centro histórico (que atualmente são cerca de 1100), bem como de empresas. Carlos Bernardes salientou na altura o papel do poder local na regeneração dos centros históricos e anunciou que a breve prazo novos espaços vão ser abertos no de Torres Vedras com o intuito de prosseguir o esforço de revitalização do mesmo, nomeadamente o espaço de apoio municipal à juventude, o Torres Vedras LabCenter, o centro de interpretação da comunidade judaica de Torres Vedras e o Torres Vedras Welcome Center.

Presente na cerimónia de inauguração do Porta 5 esteve também o secretário de estado das Autarquias Locais, o torriense Carlos Miguel, que referiu o papel pedagógico da intervenção, tendo em conta o que a mesma representa para a preservação da memória da comunidade. Carlos Miguel recordou ainda no seu discurso o trabalho que a Câmara Municipal efetuou no centro histórico ao ligar esta zona da cidade à cultura e ao associativismo.

Após os discursos, seguiu-se o descerramento da placa inaugural e uma visita ao Porta 5, a qual contou com intervenções de alguns pequenos participantes nas atividades do referido serviço pedagógico.

No âmbito deste ato inaugural foi proporcionada animação pela tarde na Praça do Município, nomeadamente uma atuação do Cottas Clube Jazz, uma atividade de “Serigrafia de Rua” pela dupla de artistas do Spontaneous Art Movement e o projeto “A fabulosa Máquina de fazer parar o tempo” do fotógrafo J.P Barrinha.