Torres Vedras

Torres Vedras celebrou a Liberdade ao longo de abril...

02.05.2019

Abril foi mês de celebração da Liberdade em Torres Vedras.

Associando-se ao 45.º aniversário da "Revolução dos Cravos", a Câmara Municipal dinamizou durante este mês um programa de ações que tiveram início e fim com a oferta de visitas-guiadas gratuitas a equipamentos culturais da cidade (Paços - Galeria Municipal, Biblioteca Municipal, Fábrica das Histórias - Casa Jaime Umbelino, Atelier dos Brinquedos, Museu Municipal Leonel Trindade, Teatro-Cine e Centro de Interpretação da Comunidade Judaica), ou celebrar abril não fosse também celebrar a Cultura.

E porque um dos desígnios de abril é também a educação, o Atelier dos Brinquedos acolheu no dia 13 uma oficina para famílias denominada Brincar…em Liberdade, para a qual foi convidada uma família muito especial que contribui para a história do brinquedo português desde há várias gerações - a PEPE JATO -, tendo nesta atividade “miúdos” e “graúdos” construído brinquedos para levar para casa.

Já mais perto da data do “Dia da Liberdade”, a 22 de abril, teve lugar na Associação de Moradores do Lugar de Ereira um jantar que reuniu presidentes e ex-presidentes de juntas de freguesia que foram democraticamente eleitos, bem como membros da Assembleia Municipal e do Executivo Municipal; no dia 24 de abril, a sede da Junta da Freguesia da União das Freguesias do Maxial e Monte Redondo acolheu uma tertúlia, integrada na iniciativa A Política contada aos Jovens, intitulada “25 de abril: Cravos nas Armas - Democracia e Liberdade no Presente e Futuro Digital”; também nessa tarde, a sessão de tricô e contação de histórias Tricôntando foi dedicada ao referido acontecimento da História nacional, nomeadamente aos poetas que o perpetuaram; a Biblioteca Municipal foi palco para o lançamento da obra de Josué Diniz O Cerco das Trevas, que aborda a ditadura militar do Brasil da segunda metade do século XX; tendo o dia terminado com um concerto comemorativo nas instalações da Sociedade Filarmónica Ermegeirense, em que atuaram as bandas deste agrupamento musical e da Sociedade Filarmónica Incrível Aldeiagrandense.

45 anos precisos após aquele a que Sophia chamou de “dia inicial inteiro e limpo”, as comemorações municipais do 25 de abril prosseguiram no Maxial com a sessão solene da Assembleia Municipal comemorativa do Dia da Liberdade na Sociedade de Instrução e Recreio do Maxial, tendo a manhã terminado com inauguração do parque multiusos da localidade. Outra inauguração, a da exposição de um dos mais célebres fotógrafos nacionais e particularmente da revolução que se estava a celebrar – Eduardo Gageiro –, intitulada A Liberdade, também na Sociedade de Instrução e Recreio do Maxial, fechou com “chave de ouro” as comemorações municipais da Revolução de 25 de abril de 1974 na data respetiva.

Ainda no território da União das Freguesias do Maxial e Monte Redondo, realizou-se na noite do dia seguinte o concerto Vamos Cantar Abril! - O Abril da resistência!, na Casa do Povo de Monte Redondo.

Também integrado nas comemorações municipais do 45.º aniversário da “Revolução dos Cravos”, o Teatro-Cine acolheu na noite do dia 27 de abril o espetáculo de dança/música Desfrutemos o delicado instante em que ela muda de vontade, uma coprodução do Teatro-Cine e da Estufa-Plataforma Cultural, que teve como convidadas a Escola de Dança Movimento e a Escola de Música Luís António Maldonado Rodrigues.

Muita cultura, assim, para celebrar abril…

O espírito de abril decorrente das descritas comemorações prossegue no maduro maio com a exposição de Eduardo Gageiro A Liberdade, que está patente até 26 de maio. Visite-a!

voltar ao topo ↑