Torres Vedras

Câmara Municipal dedicou um mês a atividades relacionadas com a Alimentação

19.11.2019

Imagem de visita a quinta em modo de produção biológico

“Sensibilizar para não Desperdiçar”. Foi com este mote que a Câmara Municipal dedicou o mês de outubro à temática da Alimentação.

Garantir o acesso ao alimento seguro, saudável e nutritivo é também tarefa da família, o que se relaciona com a adoção de estilos de vida sustentáveis, tendo, neste sentido, sido escolhidas e desenvolvidas, no âmbito da iniciativa, várias atividades direcionadas às crianças dos jardins de infância e escolas do 1.º ciclo do ensino básico da rede publica do Concelho, mas também abrangendo as famílias e a população em geral.

Recorde-se que outubro é o mês da comemoração anual do Dia Mundial da Alimentação (dia 16), tendo sido escolhida esta data por memorar a fundação da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) em 1945. Este ano o tema da efeméride foi “As nossas Ações representam o nosso Futuro”, tendo a mesma sido celebrada com eventos e iniciativas em mais de 150 países a fim de se promover a sensibilização e ações relativas à respetiva temática à escala nacional, regional e global.

Uma das atividades realizadas no Concelho no âmbito do Mês da Alimentação foi visitas com alunos do 3.º ano de escolaridade da Escola Básica de Torres Vedras ao Mercado Municipal, subordinadas à temática de “Lanches Escolares Saudáveis”, tendo nas mesmas sido abordados os alimentos a privilegiar, a evitar na lancheira escolar e a sua sazonalidade. Na ocasião os alunos participantes tiveram ainda a oportunidade de assistir a uma apresentação interativa, por meio da qual lhes foi possível, a partir de imagens, organizar a sua própria lancheira.

As visitas a quintas em modo de produção biológico situadas no Concelho também foram opção para o programa municipal relativo ao Mês da Alimentação, tendo nas mesmas participado cerca de 150 alunos de estabelecimentos de ensino que se integram no Programa “Bio-Horta Escolar”: Escola Básica e Jardim de Infância da Conquinha, Escola Básica do Turcifal, Escola Básica e Jardim de Infância da Fonte Grada, Jardim de Infância da Boavista-Olheiros, Escola Básica de Torres Vedras, Escola Básica e Jardim de Infância do Maxial, Escola Básica do Ramalhal e Centro Educativo da Ventosa. Estas visitas tiveram como objetivo o contacto dos alunos com a génese dos alimentos e com os princípios da sustentabilidade na produção, tendo havido a oportunidade de, no local, se abordarem alguns dos princípios do modo de produção biológico, nomeadamente os conceitos da policultura, biodiversidade, sazonalidade e respeito pelos ciclos naturais e o meio ambiente. Atividades práticas como sementeira ou plantação foram também experienciadas pelos participantes. As visitas representaram, assim, não só uma mais-valia para os alunos, mas também para as equipas que os acompanhavam, refletindo-se posteriormente nos trabalhos das hortas escolares.

Também no âmbito do Mês da Alimentação promovido pela Câmara Municipal, a cerca de 200 alunos dos 1.º e 2.º anos de escolaridade (da Escola Básica e Jardim de Infância do Barro, da Escola Básica da Serra da Vila, da Escola Básica da Maceira, da Escola Básica de A dos Cunhados, do Centro Educativo de Monte Redondo, da Escola Básica e Jardim de Infância do Maxial, da Escola Básica e Jardim de Infância da Conquinha e da Escola Básica Integrada Padre Francisco Soares) contaram-se histórias sobre o desperdício alimentar, tendo-se principalmente ensinado às crianças a respeitarem a comida, a perceberem a diferença entre restos e sobras e o que devem fazer para evitar desperdiçar. Com o auxílio da projeção de imagens, transmitiram-se os princípios básicos para a promoção de diferentes atitudes e perceções relacionadas com os aspetos sociais, económicos, ambientais e éticos do desperdício, bem como, de forma muito simples, do conceito de economia circular. No final de cada sessão, os alunos apresentaram uma atitude relacionada com o aproveitamento dos alimentos. Para promover a partilha desses conhecimentos com a família, foram entregues a todos os alunos quatro exemplos de receitas mediterrânicas, todas utilizando sobras de alimentos.

Também o serviço educativo municipal Robótica para Todos associou-se ao Mês da Alimentação com a atividade “Para uma Alimentação Saudável Fazer com o Robot vais Aprender”, a qual abrangeu cerca de 700 alunos dos 3.º, 4.º e 6.º anos de escolaridade (do Centro Educativo da Ventosa, da Escola Básica da Maceira, do Centro Escolar de São Pedro da Cadeira, da Escola Básica da Silveira, da Escola Básica do Ramalhal, da Escola Básica do Sarge, da Escola Básica de Torres Vedras, da Escola Básica e Jardim de Infância da Conquinha, da Escola Básica Integrada Padre Francisco Soares, da Escola Básica Integrada Padre Vitor Melícias, da Escola Internacional de Torres Vedras, do Colégio Quinta do Mar, do Jardim Escola João de Deus e da Escola Básica 2,3 São Gonçalo) e 12 famílias. Esta atividade, que partiu da manipulação de diferentes robôs, com formas diferentes de serem programados, permitiu sensibilizar os alunos para a importância de uma alimentação saudável, dando a conhecer aos mesmos a Pirâmide Mediterrânea, a Roda dos Alimentos, a função de cada grupo alimentar e as “regras de ouro” para uma alimentação saudável. Permitiu, ainda, alertar para os açúcares invisíveis em alguns produtos alimentares e, também, que os participantes medissem o Índice de Massa Corporal para verificarem se estavam dentro da respetiva zona saudável.

Já o serviço educativo Quero ser Cientista dinamizou, no âmbito deste Mês da Alimentação, a atividade “Detetive da Fruta: Será Ácido?”, por meio da qual cerca de 140 alunos do 1.º ciclo do ensino básico (da Escola Básica da Silveira, da Escola Básica do Paúl, da Escola Básica da Ereira e da Escola Básica do Turcifal) e quatro famílias aprenderam a determinar qual a fruta com maior e menor grau de acidez.

Também no âmbito deste Mês da Alimentação, o Município produziu um jogo itinerante e interativo intitulado “O Sabichão da Nutrição Vai à Escola”, dirigido a alunos dos 3.º e 4.º anos de escolaridade, os quais, por meio do mesmo, com enorme entusiamo, enriqueceram, a brincar, os seus conhecimentos acerca da Roda dos Alimentos, Nutrição e Alimentação. De realçar que este jogo ensina de que forma a alimentação saudável tem importância no crescimento e na saúde e, ainda, que a alimentação saudável e equilibrada, conjugada com a atividade física, são a chave para o desenvolvimento de um corpo e mente sã, o que promove maior concentração nas aulas e melhor disposição. Cerca de 130 alunos (do Centro Educativo da Ponte do Rol, da Escola Básica e Jardim de Infância da Conquinha, da Escola Básica do Turcifal, do Centro Educativo de Monte Redondo e da Escola Básica e Jardim de Infância do Varatojo) participaram nesta atividade.

No Dia Mundial da Alimentação o Centro Educativo de Runa acolheu um almoço especial dirigido aos alunos dos primeiro e segundo anos de escolaridade deste estabelecimento de ensino, o qual se inseriu no projeto “Conhecer o que Como”, tendo sido promovido pela Aliança Contra a Fome e Má Nutrição Portugal com o apoio da Câmara Municipal. Este almoço - cuja ementa foi constituída por sopa de agrião, feijoada de chocos e maçã assada - foi servido no refeitório da escola, especialmente decorado para a ocasião. Antes do almoço, foi exposto na sala de aula dos alunos participantes um grande cabaz elaborado pela Casa do Povo de Runa contendo os produtos usados na confeção da refeição. Nesta atividade consolidou-se junto das crianças a ideia de que a alimentação é constituída por produtos que são diferentes de região para região e que, pelas leis da natureza, surgem também em diferentes épocas do ano, sendo que as respetivas épocas se constituem como os momentos em que eles se apresentam nas melhores condições para serem consumidos. Assim, sensibilizou-se e estimulou-se o gosto dos mais novos pelas dietas tradicionais, equilibradas e adaptadas à produção e condições locais. Este “almoço especial” repetiu-se, para cerca de 100 alunos do primeiro ano de escolaridade, no dia 17 (na Escola Básica e Jardim de Infância da Póvoa de Penafirme), no dia 18 (no Centro Educativo do Outeiro da Cabeça) e no dia 25 (na Escola Básica e Jardim de Infância da Conquinha).

Também integrado no Mês da Alimentação, o auditório do Edifício dos Paços do Concelho recebeu, no dia 19, uma ação pública e gratuita intitulada “Consumir Produtos Biológicos". Estiveram presentes nesta ação alguns dos agentes económicos locais que se dedicam ao modo de produção biológica, juntas de freguesia, instituições particulares de solidariedade social, escolas e munícipes.

No mesmo local teve lugar no dia 25 uma outra ação relacionada com a temática da alimentação, mais concretamente uma sessão das "Conversas com Pais", com o tema “Cozinhar em Família – Dicas para Envolver os Seus Filhos em Opções Culinárias Simples, Baratas e Saudáveis”. Nesta ação procurou-se a transmissão de competências culinárias ao nível do corte dos hortícolas, manutenção do tempo de cozedura, harmonização de cores e aromas, e empratamento.

De referir também do Mês da Alimentação promovido pela Câmara Municipal um workshop de nutrição sobre a temática “Alimentação Saudável”, realizado no Torres Vedras LabCenter, no dia 14, no âmbito do Plano Local de Integração da Comunidade Cigana. Tratou-se de uma iniciativa que teve como objetivo alertar a comunidade cigana sobre alguns hábitos alimentares menos saudáveis, que resultam em problemas de saúde e consequentemente numa diminuição da qualidade de vida. Foram na ocasião abordados temas como o consumo excessivo de sal e açúcar, a escassez de produtos hortofrutícolas, o insuficiente consumo de água, o abuso de bebidas alcoólicas e de refrigerantes e os métodos de preparação culinários. 

Com a realização do Mês da Alimentação, o Município pretendeu contribuir para a formação na área da Educação para a Saúde da população, não só dos alunos, mas também dos seus pais, encarregados de educação e restante família, nomeadamente para a criação de sistemas alimentares mais resilientes, numa abordagem assente na minimização do desperdício alimentar e conservação da biodiversidade.

voltar ao topo ↑