Torres Vedras

"Arte ao Centro" dinamizou e promoveu território de Torres Vedras pela Arte

23.11.2017

Torres Vedras acolheu, de 13 de outubro a 3 de novembro, a realização do “Arte ao Centro”, evento cultural e artístico, que incluiu o 3.º Encontro Internacional de Desenho de Rua, três exposições, 37 oficinas e uma residência artística, com os objetivos de dinamizar o centro histórico da cidade de Torres Vedras e valorizar e promover o seu património pela Arte.

O 3.º Encontro Internacional de Desenho de Rua, coorganizado pela Cooperativa de Comunicação e Cultura e pela Câmara Municipal de Torres Vedras, realizou-se de 13 a 15 de outubro e contou com 160 desenhadores vindos de Portugal, Espanha e Brasil. Os participantes foram orientados por 10 formadores convidados e o tema escolhido nesta 3.ª edição do encontro foi “A vinha e o vinho”, pelo que os desenhadores foram convidados a conhecer o território rural de Torres Vedras.

No primeiro dia do encontro, os participantes andaram por locais do centro histórico da cidade de Torres Vedras, nomeadamente pelo Centro de Interpretação da Comunidade Judaica e Praça do Município, bem como por outros locais simbólicos tendo em conta o tema desta edição, como é o caso do edifício do antigo Instituto da Vinha e do Vinho (IVV). Já no segundo dia, os desenhadores passaram para as paisagens de serra e vinhedos, com as oficinas a decorrerem na Adega Mãe e na Adega Cooperativa de São Mamede da Ventosa. O dia terminou com a realização de oficinas de trabalho, provas de vinhos e uma tertúlia entre participantes e formadores, fomentando o espírito de partilha próprio deste encontro internacional. A Quinta da Portucheira e o Centro de Apoio Social de Runa foram os locais que serviram de cenário à realização de desenhos no último dia deste evento.
O 3.º Encontro Internacional de Desenho de Rua permitiu, no global, promover, não apenas o desenho e as práticas artísticas, mas também o vinho, a gastronomia e o património cultural do território rural torriense.

O programa da 3.ª edição do “Arte ao Centro” contemplou também a inauguração de três exposições, no dia 13 de outubro, na Paços - Galeria Municipal de Torres Vedras: “Coletivo Brasil”, com curadoria de Lauro Monteiro, contou este ano com trabalhos de 12 artistas brasileiros que têm em comum o uso do desenho como metodologia criativa; “Desenhos e Diários Gráficos”, da autoria de João Catarino; e “Orgânicas”, na qual a artista plástica brasileira Marta Viana apresentou uma série de 27 fotografias reveladoras do seu trabalho de pesquisa, observação e perceção das formas da natureza.

Na componente mais prática deste evento, e de trabalho mais próximo com diversos públicos, realizaram-se 37 oficinas que contaram com cerca de 450 participantes, entre alunos de diversos estabelecimentos de ensino, seniores dos núcleos de Santa Cruz e do Ramalhal, utentes do Gabinete de Apoio à Deficiência Visual e um grupo de jovens ciganos do concelho. As oficinas realizaram-se no âmbito do desenho, colagem, modelagem com argila, cinema e narrativa animada e banda desenhada.

Já a exposição/instalação “O Jardim da Ana”, que inaugurou no dia 10 de novembro na Paços – Galeria Municipal de Torres Vedras, resultou da residência artística de Maria Dulce Nunes.

“Arte ao Centro” regressará no próximo ano mantendo os objetivos de intercâmbio cultural e divulgação/promoção do território de Torres Vedras pela Arte.


voltar ao topo ↑