Torres Vedras

Amaro Antunes vence 40º Grande Prémio Internacional de Ciclismo de Torres Vedras

13.07.2017

121 corredores, de nove nacionalidades provenientes de quatro continentes, disputaram, entre 5 e 9 de julho, a 40.ª edição do Grande Prémio Internacional de Torres Vedras - Troféu Joaquim Agostinho. O grande vencedor foi o português Amaro Antunes, da equipa W52/FC Porto.
A corrida portuguesa que integra há mais tempo o calendário internacional, teve este ano cinco dias de prova, com quatro etapas em linha e um prólogo, totalizando 654 quilómetros.

O prólogo, no Turcifal, decorreu no dia 5 de julho, em sistema de contrarrelógio, numa extensão de 8 quilómetros e foi conquistado pelo vice-campeão norueguês de contrarrelógio, Andreas Vangstad (Team Sparebanken Sor. O segundo classificado foi Gustavo César Veloso (W52-FC Porto), que terminou neste lugar os três prólogos do Troféu Joaquim Agostinho já disputados no Turcifal. O terceiro foi Sérgio Paulinho (Efapel).

No dia seguinte, a primeira etapa em linha, levou a caravana da Adega Cooperativa de S. Mamede da Ventosa até Arruda dos Vinhos, ao longo de um percurso de 140 quilómetros, adequado aos sprinters. Saiu vencedor o francês Yannis Yassaad (Armée de Terre). Samuel Caldeira (W52-FC Porto) foi o segundo classificado e Oscar Pelegri (Caja Rural-Seguros RGA) fechou o pódio do dia, mantendo o norueguês Andreas Vangstad (Team Sparebanken Sor) a camisola amarela.

A segunda etapa da corrida, que decorreu no dia 7 de julho, partiu do Sobral de Monte Agraço e terminou no alto de Montejunto, com 155 quilómetros percorridos, numa meta coincidente com uma contagem de montanha de primeira categoria, sendo alcançada após subida pela vertente do Avenal, mais exigente do que a escalada habitualmente feita. Os corredores portugueses assumiram o protagonismo e Amaro Antunes (W52-FC Porto) foi o primeiro a cortar a meta.

Na terceira etapa a organização decidiu apresentar uma grande novidade: uma etapa dividida em dois sectores. O primeiro setor com 78 quilómetros, entre Atouguia da Baleia, local onde se homenageou Joaquim Agostinho com a deposição de uma coroa de flores e o Vimeiro, com a chegada a coincidir com mais uma Meta de Montanha, de 3.ª categoria. O francês Yannis Yssaad (Armée de Terre) ganhou novamente a etapa com 1h46m48s de corrida, menos 2 segundos do que João Matias (LA Alumínios-Metalusa BlackJack) e do que Rafael Silva (Efapel), segundo e terceiro, respetivamente. José Neves (Liberty Seguros/Carglass) continuou no topo da geral. O segundo setor, após a partida simbólica do futuro Museu Joaquim Agostinho e inauguração da obra de arte “Pelotão”, da autoria do torriense Nuno Vaza, foi finalizado no tradicional circuito de Torres Vedras, nuns exigentes 111 quilómetros. Daniel Mestre logrou um triunfo milimétrico sobre o francês Jimmy Raibaud (Armée de Terre). Amaro Antunes (W52-FC Porto), focado na luta pela camisola amarela, foi terceiro. O algarvio Amaro Antunes foi também o primeiro nas classificações da montanha Camisola Azul CUF e do combinado Camisola Roxa Alma Vitis / Adega da Ventosa. O francês Yannis Yssaad, vencedor de duas etapas, comandou por pontos – Camisola Cinza Modecort. César Martingil (Liberty Seguros/Carglass) ficou na frente da tabela das metas volantes Camisola Branca Pretab, e o colega de equipa José Neves segurou a camisola Laranja da Juventude – IDPJ. A W52-FC Porto liderou por equipas.

No último dia, houve mais uma passagem pelo Alto de Montejunto, desta vez numa tirada que ligou São Martinho do Porto ao Parque Eólico de Carvoeira. Sendo a etapa mais longa desta edição, com 162 quilómetros, contou com contagens de montanha, entre elas o Alto de Montejunto - 1.ª categoria, e o Parque Eólico de Carvoeira (meta final) - 3.ª categoria, e foi vencida por João Benta tendo-se coroado Amaro Antunes (W52-FC Porto) vencedor do GPIC – Troféu Joaquim Agostinho.

 “Não podemos prever a corrida que os adversários vão fazer. Nós cumprimos o nosso plano, como previsto antes da etapa, trabalhando para manter a camisola amarela. É um orgulho muito grande conquistar uma corrida com tanta história como o Troféu Joaquim Agostinho”, confessou Amaro Antunes.

O vencedor ofereceu a sua coroa de louros a Joaquim Agostinho, com é habitual.

O Grande Prémio Internacional de Ciclismo de Torres Vedras – Troféu Joaquim Agostinho é uma organização da União Desportiva do Oeste (UDO), em parceria com a Câmara Municipal de Torres Vedras.

Geral Individual
1.º Amaro Antunes (W52-FC Porto), 16h22m17s
2.º Rinaldo Nocentini (Sporting-Tavira), a 15s
3.º Frederico Figueiredo (Sporting-Tavira), a 18s
4.º João Benta (RP-Boavista), a 40s
5.º José Neves (Liberty Seguros/Carglass), a 44s
6.º Vicente García de Mateos (Louletano-Hospital de Loulé), a 52s
7.º Sérgio Paulinho (Efapel), a 54s
8.º Pablo Torres (Burgos BH), a 1m11s
9.º Edgar Pinto (LA Alumínios-Metalusa BlackJack), a 1m19s
10.º David de la Fuente (Louletano-Hospital de Loulé), mt

Geral coletiva
1.º W52-FC Porto
2.º Efapel
3.º LA Aluminios / Metalusa / Blackjack

Fonte da Notícia: UDO
Crédito Fotográfico: Federação Portuguesa de Ciclismo