Torres Vedras

Relatório de sustentabilidade

2019

Em 2020, o Município publica novamente o Relatório de Sustentabilidade segundo as novas diretrizes da GRI – GRI Standard 2018, promovendo, desta forma, a transparência, o aperfeiçoamento das suas práticas e a adoção dos princípios da Sustentabilidade nas suas práticas diárias. Este novo documento pretende divulgar e relatar o desempenho económico, social e ambiental do Município de Torres Vedras do período de 2016 a 2019 (ainda que sejam encontradas referências ao ano de 2015), numa abordagem relacional repartida por três grandes áreas que avalia e reporta a Sustentabilidade das opções estratégicas tomadas.

A elaboração do Relatório de Sustentabilidade decorre da consciencialização da importância dos princípios de equilíbrio financeiro, de responsabilidade social e de qualidade ambiental, bem como da importância de transmitir de uma forma transparente, simples e apelativa, os resultados atingidos. A análise efetuada ao desempenho do Município de Torres Vedras incluiu, dentro do possível, todos os serviços, edifícios e equipamentos geridos diretamente pela Câmara Municipal e são reportados tanto os aspetos que demonstram um bom desempenho, como aqueles onde existe um espaço de melhoria. Desta forma, este relatório permite:

  • Tornar a informação disponível ao executivo, colaboradores e entidades externas;
  • Aumentar a consciência sobre as questões abordadas no relatório;
  • Analisar e monitorizar o desempenho interno nas áreas económica, social e ambiental;
  • Elevar o potencial para melhorar a eficiência operacional das atividades camarárias;
  • Identificar as áreas mais vulneráveis que deverão ser alvo de melhorias;
  • Validar o compromisso do Município face aos valores sociais e ambientais

O Relatório de Sustentabilidade assume-se, ainda, como um meio de comunicar, interna e externamente, a situação relativamente ao trabalho realizado e à sua evolução em cada uma das diferentes áreas, potenciando a existência de um diálogo constante com as partes interessadas e a procura de uma melhoria contínua nos serviços prestados pela Câmara Municipal.


2016

Um Relatório de Sustentabilidade de uma câmara municipal constitui a avaliação do seu desempenho, realizada por uma entidade independente e idónea. Pretende o relatório, ainda, revelar aspetos que se apresentem deficientes, para que possam ser corrigidos e melhorados.

Este é o primeiro Relatório e surge no seguimento das questões da sustentabilidade desenvolvidas, como a Agenda 21 Local, onde cresceu a necessidade de pensar as questões da sustentabilidade para o Município em si.

Assenta igualmente em conceitos do Orçamento Participativo numa perspetiva de participação pública e participação representativa.

A sua elaboração decorre essencialmente da consciencialização da importância dos princípios de equilíbrio financeiro, de responsabilidade social e de qualidade ambiental, bem como da importância de transmitir de uma forma transparente, simples e apelativa, os resultados atingidos.

Esta noção está também patente no facto de a Câmara Municipal de Torres Vedras ter algumas divisões certificadas pela norma ISO 9001:2015, sendo estas a Divisão Financeira, Divisão de Recursos Humanos, Divisão de Desenvolvimento Social, Divisão de Gestão Urbanística, Divisão de Ambiente e Sustentabilidade, Divisão Administrativa e Divisão de Contratação Pública e Património. A Câmara Municipal de Torres Vedras é auditada por uma empresa de certificação externa aos seguintes locais:

  • Centro de Informação Municipal à Juventude (PIJ);
  • Centro Local de Apoio à Integração de Imigrantes;
  • Centro Interpretativo da Paisagem Protegida Local das Serras do Socorro e Archeira;
  • Centro de Educação Ambiental (CEA);
  • Gabinete de Apoio à Deficiência Visual.

Este é o primeiro Relatório de Sustentabilidade da Câmara Municipal de Torres Vedras e faz uma análise ao seu desempenho de 2010 ao ano de 2015. Elaborado com as diretrizes do Global Reporting Initiative1, sintetiza a Missão, a Visão e os Valores que o Executivo camarário define e pratica no Município, numa abordagem relacional repartida por quatro grandes áreas e que avaliam e reportam a sustentabilidade das opções estratégicas tomadas.


voltar ao topo ↑