Torres Vedras

Agenda

Uma manhã de Histórias

2 de abril de 2019 | terça | 10h30 às 12h30

Leitura infanto-juvenil

Local: Teatro-Cine de Torres Vedras

Uma manhã inteira para saborearmos palavras e pensamentos que ganham a forma de histórias. Que histórias? Histórias dos grandes escritores Arnold Lobel e Roald Dalh que, há anos e anos, deliciam gente grande e gente pequena com histórias curtas e compridas, espampanantes e divertidas, cheias de tempo e de raízes, muito senhoras dos seus narizes… Estas histórias são levadas a palco numa leitura coral ou encenadas pelo Clube dos amigos do senhor L. (alunos a frequentarem o 1º ciclo) e pelo Clube dos amigos do senhor D. (alunos a frequentarem o 2º ciclo e o ensino secundário). Haverá ainda a contação de uma história  por Ana Manita que dinamiza um Projeto da Fábrica das Histórias – Casa Jaime Umbelino designado Histórias com Pernas para Andar.


Alunos intervenientes na leitura coral e leitura encenada
4º ano da escola Padre Francisco Soares – Professora Amélia Matias
1º e 2º ano da escola do Farol – Professora Ana Cláudio
5º e 6º ano da escola Padre Vitor Melícias – Professora Ana Cláudio
12º ano da Escola Madeira Torres - Professora Elsa Andrade


Colaboração: Escolas Padre Francisco Soares, Farol, Padre Vitor Melícias e Escola Madeira Torres. Banco de Voluntariado: Ana Manita

Info e inscrições: 261 320 738 ou fabricadashistorias@cm-tvedras.pt 


Teatro-Cine de Torres Vedras

3ª a 6ª: 09h00 às 13h00 e 14h00 às 17h00
a partir das 18h00 em dias de espetáculo

Av. Tenente Valadim, n.º 19
2560 Torres Vedras

261338131
teatro.cine@cm-tvedras.pt
Localização Google Maps


Integrado em Torres Vedras - Cidade dos Livros. Outras datas:

O Projeto “Torres Vedras – Cidade dos Livros”, como o próprio nome indica, visa levar pelo entusiasmo os cidadãos do nosso Concelho a participarem numa festa da ligada à literatura, abrindo  caminho através dos livros, como também através de outras formas de expressão artística que lhe estão ligadas por relações de parentesco, como o teatro, a música, a performance, o cinema de animação, a ilustração… para trabalhar a  pedagogia do imaginário.

Procura ainda, de forma clara, demonstrar que os livros e as leituras não se confinam a escolas e bibliotecas, o que seria absurdamente redutor, abrindo-se por isso mesmo a novas parcerias com outros espaços culturais.

Tal como há muito o livro deixou de ter um formato durante séculos valorizado, e se abriu a todos os tamanhos e feitios, a Fábrica das Histórias-Casa Jaime Umbelino acredita que se lhe impõe abrir-se aos livros e à sua leitura, pondo em movimento projetos que não quer ver confinados a um mês, o de abril, fazendo deles um  movimento contínuo de todos os dias e de toda a sua programação.

voltar ao topo ↑