Torres Vedras

Agenda

Acordeões da Lusofonia

Música | Festival Acordeões do Mundo

31 de outubro de 2018 | quarta | 21h30 às 23h00

Música Concertos do Festival Acordeões do Mundo 2018

Local: Teatro-Cine de Torres Vedras
Destinatários: M/6

Esta atividade integra os programas Festas da Cidade , Festival Acordeões do Mundo 2018

Consta que o acordeão, também conhecido por "gaita de mão", seja o primeiro instrumento ocidental utilizado na música urbana dos países lusófonos em África. O Funaná, estilo musical cabo-verdiano, tem no acordeão (gaita) a sua sonoridade básica, em harmonia com o ferro, um típico instrumento de percussão da ilha de Santiago tocado com uma faca de mesa. No semba e na rebita de Angola, no Gumbé da Guiné-Bissau, no Forró do Brasil, no Socopé e na Rumba de São Tomé, na Marrabenta de Moçambique, este instrumento é um dos pilares sonoros, trouxe a melodia que faltava e juntou-se aos ritmos dos tambores e chocalhos africanos, aos cânticos e danças urbanas do Sul, à música sacra já cantada nas línguas locais, especialmente os crioulos.

Bandas históricas dos PALOP como a "Voz de Cabo Verde", os “Leoninos de São Tomé”, alguns grupos da Cidade de Bissau, de Maputo e de Luanda, utilizavam muito este instrumento, mesmo antes das guitarras e da bateria chegarem, apesar de ter desaparecido com o tempo, quando apareceram outros instrumentos modernos. Com o surgimento dos sintetizadores e da sua apropriação na música africana, alguns instrumentos melódicos foram perdendo espaço e o acordeão estava entre eles pelo facto dos teclados computadorizados reproduzirem sons de muitos instrumentos, e só reaparece com a projeção da música do sul na cena "Música do Mundo".

As exigências deste mercado por uma música mais orgânica e original, resgatam os instrumentos mais tradicionais e, tal como o korá da África ocidental, foram reintegrados remontando às sonoridades de origem. Do Brasil, apenas a Bossa Nova, o Samba e alguns géneros mais comerciais, tinham projeção internacional. Os ritmos como o Baião, Forró e o Rastapé do Nordeste brasileiro eram discriminados e pouco valorizados fora do seu contexto ou território de origem, até a chegada do forró às festas universitárias no final da década de noventa, momento em que o ritmo conquista a elite brasileira e ganha projeção internacional. Até então, os músicos mais consagrados destes géneros tinham sido o Luiz Gonzaga e Dominguinhos, ambos excelentes sanfoneiros.

O concerto "Acordeões da Lusofonia" propõem exatamente uma viagem por estas sonoridades e pela história revisitando temas saudosistas. De Portugal serão temas do Minho, região de onde foram os acordeões para a África, uma vez que, de todos os países da lusofonia, é dos que preservam mais o acordeão que, aqui destacado, estará no centro e como elo de ligação ilustrando a nossa história comum em torno do instrumento; uma conjugação perfeita!

Ao centro, João Gentil e Carlos Lopes, dois conceituados acordeonistas portugueses. Juntam-se a esta festa várias vozes e um trio de baixo, guitarra e percussão para interpretar clássicos de Dominguinhos, Luís Gozaga, Banda Maravilha, Codé di Dona e Dominique, entre outros, num concerto intimista.


Lotação: 400
acesso a público com mobilidade condicionada
Preço: 5 €
Comprar Bilhetes
Evento no Facebook

Teatro-Cine de Torres Vedras

3ª a 6ª: 09h00 às 13h00 e 14h00 às 17h00
a partir das 18h00 em dias de espetáculo

Av. Tenente Valadim, n.º 19
2560 Torres Vedras

261338131
teatro.cine@cm-tvedras.pt
Localização Google Maps


Integrado em Concertos do Festival Acordeões do Mundo 2018. Outras datas:

Celebramos, em 2018, a 15.ª edição deste festival que voltará a invadir a cidade de sonoridades bem acolhedoras. A par da Merenda do Acordeão, que anima os finais de tarde e confere vida aos locais mais tradicionais de Torres Vedras, não perca os grandes concertos que terão lugar no Teatro-Cine e que marcam Torres Vedras no roteiro musical internacional

voltar ao topo ↑